Alckmin defende modelo tucano para educação em SP

Tucano ressaltou números do Ideb, que colocou o Estado de São Paulo em primeiro lugar da 5ª à 8ª séries e segundo da 1ª à 4ª série

Agência Estado |

selo

Futura Press
Candidato tucano ao governo, Geraldo Alckmin, discursa
O candidato ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), rechaçou ontem críticas ao sistema educacional paulista, defendeu a bonificação por mérito para professores e disse que aumentará o número de escolas que disponibilizam aulas em período integral. O tema da educação no Estado, ao lado dos pedágios, é considerado por adversários o calcanhar de Aquiles das gestões tucanas.

Para rebater as críticas, Alckmin vem ressaltando, em suas entrevistas e discursos, os números do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) no Estado. São Paulo foi primeiro lugar da 5ª à 8ª séries e segundo da 1ª à 4ª séries. No Exame Nacional do Ensino Médio (Enem), contudo, apenas duas escolas públicas figuraram entre as 10 melhores no Estado - e só admitem alunos por vestibular.

"Eu sou favorável a concurso público e carreira, mérito e aumento", disse o tucano, em entrevista à Rádio Bandeirantes, na capital paulista. "Quem ultrapassar o benchmark recebe dois, três salários no fim do ano para a equipe, o que estimula o mérito e os resultados." Alckmin disse também que pretende expandir o número de escolas que funcionam em tempo integral no Estado. Hoje são cerca de 500. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo .

    Leia tudo sobre: Geraldo AlckminIdebSPeducação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG