Alckmin: apoio de Apolinário a Mercadante é 'irrelevante'

Vereador do DEM apoiou senador petista na corrida estadual

Piero Locatelli, iG São Paulo |

AE
Alckmin e seu vice, Guilherme Afif Domingos, com o deputado federal José Aníbal, durante inauguração do comitê de campanha
O candidato tucano ao governo de São Paulo, Geraldo Alckmin, desdenhou do apoio do vereador Carlos Apolinário (DEM) ao candidato do PT, Aloizio Mercadante, na disputa estadual. “Isso é um caso isolado, absolutamente irrelevante”, disse o tucano nesta quinta-feira.

Apesar de o DEM apoiar Alckmin, Apolinário declarou ser favorável a Mercadante na última segunda-feira (1). Dois dias depois, o vereador perdeu o cargo de líder do DEM na Câmara Municipal de São Paulo.

Entre os motivos citados por Apolinário para sua decisão, estava a recusa de Alckmin em apoiar o prefeito Gilberto Kassab (DEM) nas eleições municipais de 2008. Alckmin, porém, disse desconhecer os motivos de Apolinário. “Eu não sei o que o motivou. Num partido grande, sempre tem alguém que pode ter uma posição diferente”, disse Alckmin.

Segundo o ex-governador, a decisão de Apolinário não deve ter um peso grande em sua campanha. O tucano diz que a garantia do maior tempo de televisão é mais importante neste momento. Ele diz contar, até agora, com o apoio de 8 partidos (PSDB, DEM, PMDB, PTB, PPS, PMN, PSC, PHS).

Programa de governo

As declarações foram dadas por Alckmin no seu primeiro evento de campanha no Estado. Ele inaugurou a casa Mario Covas, que deverá servir de sede para a produção de seu programa de governo.

O deputado federal José Aníbal (PSDB-SP) vai coordenar os trabalhos. Segundo o parlamentar, deve ser aberto um canal para sugestões ao programa via internet na próxima semana. Ele pretende apresentar um esboço do programa entre os dias 20 e 25 de julho, que deverá pautar as propagandas de Alckmin do rádio e na TV a partir de agosto.

    Leia tudo sobre: Aloizio MercadanteGeraldo Alckmin

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG