Aécio diz que ele e Serra estão 'imunes' a intrigas

Senador eleito por Minas Gerais diz nunca ter visto jornalista que encomendou quebra de sigilos fiscais

Adriano Ceolin, enviado a Goiânia |

O ex-governador e senador eleito por Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB), afirmou hoje que ele e o presidenciável tucano José Serra estão “imunes” a intrigas. O político mineiro deu a declaração ao comentar a versão do jornalista Amaury Ribeiro Jr., que em depoimento à Polícia Federal, disse que encomendou a quebra dos sigilos fiscais de pessoas ligadas ao PSDB para proteger Aécio de uma investigação contra a ele que seria comandada pelo deputado Marcelo Itagiba (PSDB-RJ) a serviço de Serra.

null“É muito estranho que às vésperas de uma eleição, um depoimento busque criar um antagonismo entre seus adversários (em referência ao PT). Serra e eu estamos imunes a essas intrigas. Quem tem que dar explicação em relação a dossiês são eles. É uma prática do PT e não do PSDB”, afirmou Aécio.

O tucano mineiro participa nesta quinta-feira de evento da campanha do candidato ao governo de Goiás pelo PSDB, Marconi Perillo. Eleito senador em 3 de outubro e principal liderança da vitória de Antonio Anastasia (PSDB) para o governo de Minas, Aécio iniciou hoje uma série de viagens pelo País para pedir votos para os tucanos que disputam o segundo turno nos governos estaduais. Em Goiânia, ele está acompanhado pelo presidente nacional do PSDB, Sergio Guerra, e pelo secretário-geral e deputado federal eleito pelo PSDB mineiro, Rodrigo de Castro.

Questionado sobre por que o jornalista teria atribuído uma suposta proteção a ele para fazer o dossiê, Aécio negou conhecê-lo. “Não conheço. Nunca vi na minha vida. Sempre que você ouvir alguma coisa em relação a quebra de sigilos, aloprados e dossiês, procure o PT porque você vai achar mais facilmente”, respondeu. Além de pedir votos para Marconi, Aécio defendeu a candidatura Serra para a Presidência e criticou o partido adversário.

“O Brasil inteiro sabe onde está o DNA do dossiê. Onde vivem e trabalham os aloprados. É hora de nós trabalharmos para garantir, com a eleição de José Serra, que as instituições democráticas no Brasil não estejam a serviço de facções políticas e de um governo circunstancial. O governo tem que estar a serviço da democracia”, completou.

Em Goiânia, Aécio participou na manhã de hoje da inauguração de um comitê de campanha de Serra e agora à tarde vai a uma carreata.

    Leia tudo sobre: pleito 2010eleições serraaécioperillo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG