Aécio desconversa sobre José Ronaldo em ministério de Serra

Senador eleito por Minas Gerais não confirma que ex-prefeito de Feira possa ter cargo

Lucas Esteves, iG Bahia |

Nos bastidores da política de Feira de Santana, a segunda maior cidade da Bahia, corre a informação de que o ex-prefeito da cidade e candidato derrotado ao Senado, José Ronaldo (DEM), pode ter feito parte de uma negociação com a campanha de José Serra (PSDB) para, caso o candidato seja eleito presidente da República, o demista baiano possa assumir um ministério na gestão.

Em visita a Feira nesta terça-feira (26), o senador eleito por Minas Gerais Aécio Neves foi questionado sobre o assunto pela imprensa local e não confirmou nem desmentiu a negociação. Preferiu elogiar os apoios no interior do Estado e pregar otimismo na eleição de Serra, ao mesmo tempo em que confirmou propostas do tucano para a cidade, como uma nova pista para a BR-324 e a criação de um novo hospital geral.

“O José Serra tem uma relação muito próxima com as lideranças locais, com José Ronaldo, e outras pessoas que lhe ajudaram desde o início da sua campanha. Nós sempre soubemos que teríamos no Nordeste uma dificuldade maior do que em outras regiões do país. Mas isso pouco a pouco vai melhorando. Nós temos certeza que teremos aqui no segundo turno um resultado muito melhor do que o que houve no primeiro turno”, desconversou.

A possibilidade de José Ronaldo ter negociado o cargo não é impossível de acordo com as circunstâncias políticas. Este ano, o demista concorreu ao Senado e ficou na 4ª colocação, com pouco mais de 1 milhão de votos. Apenas 500 mil a menos que César Borges (PR), que no começo da corrida sucessória era franco favorito à reeleição mas foi derrotado por Walter Pinheiro (PT) e Lídice da Mata (PSB).

O desempenho de Ronaldo demonstra o prestígio que o político tem na região de Feira, que engloba 15 municípios que, juntos, representam cerca de 800 mil habitantes. Ele, no entanto, é apenas mais um dos integrantes do DEM baiano que, após o pleito de 2010, não terão mandato a cumprir. Caso tenha de fato havido a negociação, apenas um nome deverá concorrer diretamente com o ex-prefeito pela vaga: Paulo Souto.

Ex-governador do Estado, Souto é o presidente regional do DEM e, durante a campanha deste ano, foi uma das figuras que mais esteve ao lado de José Serra em suas visitas à Bahia. Entretanto, pesa contra si o fato de que acaba de perder a segunda eleição seguida, o que simboliza a decadência da legenda no Estado após a morte do senador Antônio Carlos Magalhães. Para reinserí-lo no quadro central da política, a oferta de um ministério seria uma boa solução, mas a boa votação de Ronaldo é seu maior trunfo.

Corre por fora também o deputado federal ACM Neto que, pela segunda eleição seguida, foi o deputado federal mais bem votado do Estado e, com quase 330 mil votos, exercerá seu terceiro mandato seguido. Por outro lado, sua pouca idade – 31 anos – pode impedí-lo de assumir um cargo da importância de um ministério caso José Serra vença Dilma Rousseff (PT) em 31 de outubro.

    Leia tudo sobre: eleições bapleito 2010eleições serra

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG