Advogado diz que procuração falsa foi usada contra genro de Serra

Verônica Serra e Alexandre Bourgeois deverão depor à Polícia Federal na próxima semana sobre a violação de sigilo

Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo |

O advogado Sergio Rosenthal, que representa Verônica Serra e o marido dela Alexandre Bourgeois, disse hoje que o sigilo fiscal de Bourgeois foi violado com base em uma procuração falsa, a exemplo do que aconteceu com Verônica, filha do presidenciável José Serra (PSDB). Rosenthal esteve hoje na sede da Polícia Federal em São Paulo, onde analisou os autos do processo. O advogado disse ainda que o casal vai depor à Polícia Federal sobre o caso na próxima quarta-feira.

Futura Press
Sergio Rosenthal, advogado de Verônica Serra
Segundo Rosenthal, a procuração falsa de Bourgeois tinha firma reconhecida forjada com o nome do mesmo tabelião da procuração de Verônica e dava direitos ao mesmo contador, Antonio Carlos Atella Ferreira. A procuração falsa protocolada em Santo André na mesma data da procuração de Verônica, no dia 29 de setembro de 2009, e no mesmo 16º Tabelião.

Rosenthal disse ter ficado "bastante bastante surpreso com essa informação nova (procuração falsa de Bourgeois), o que agora justifica a necessidade da oitiva (depoimento) do senhor Alexandre também nesse inquérito para que fique finalmente demonstrada pericialmente essa fraude de documentos", afirmou. Rosenthal disse que Verônica e Bourgeois serão ouvidos no mesmo dia, mas separadamente.

Questionado sobre se o suposto ato criminoso de Atella teria intenções políticas, o advogado afirmou que “não é possível fazer ainda esse tipo de ilação. Isso deve ser objeto de entendimento do delegado de polícia, que me parece que só vai poder chegar a uma conclusão ao final das investigações."

Antes de entrar na sede da Polícia Federal, o advogado disse que Verônica e Alexandre não são políticos e não têm vinculação, a não ser familiar, com tudo isso que está acontecendo. “Evidentemente que eles estão incomodados com a violação da privacidade deles, de forma criminosa. Isso incomoda muito eles, como incomoda qualquer cidadão que foi vítima de violação de sua privacidade e de um crime”, disse Rosenthal.

Agência Estado
A Polícia de SP apresentou a falsa procuração que dava ao contador Antônio Carlos Atella os direitos de quebrar o sigilo fiscal do genro de Serra, Alexandre Bourgeois
Depoimentos nesta sexta-feira
A analista da Receita Federal Lúcia de Fátima Gonçalves Ilan, que recebeu a procuração falsa e acessou os dados de Verônica Serra, depôs nesta sexta-feira na sede da Polícia Federal, em São Paulo. Ela ficou no prédio por volta de duas horas e saiu ser dar declarações à imprensa.

O contador Antonio Carlos Atella Ferreira também esteve no prédio da PF, mas não falou com a imprensa. Atella estava acompanhado de seu advogado Alexandre Trindade e foi ouvido pelo delegado titular do caso, Hugo Uruguai. Depois do depoimento, Atella rumou para 2º delegacia seccional de Polícia Civil de Santo André, onde prestará depoimento, marcado para às 14h30. É nesta delegacia que corre o inquérito sobre a suposta falsificação das procurações de Verônica Serra e de seu marido.

A partir das 14h, na sede da PF em São Paulo, ocorre depoimento de  Helena Barbosa , proprietária da HB Assessoria Contábil, escritório em que trabalhava o office boy Ademir Estevão Cabral,

    Leia tudo sobre: eleições serrapleito 2010polícia federalsigilo

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG