Advogado acusa PF de agredir candidata

Advogado de Antônia Lúcia, candidata a deputada federal no Acre, diz que sua cliente está traumatizada

Nayanne Santana, iG Acre e Rondônia |

O advogado Paulo Henrique Cestaro disse durante entrevista coletiva nesta quinta-feira que a missionária e candidata a Deputada Federal, Antônia Lúcia Câmara (PSC) foi agredida por agentes da Polícia Federal (PF) durante o cumprimento dos mandados de busca e apreensão em sua residência, na realização da Operação “Eleições Limpas”.

“Houve uma situação de agressão e ela está lesionada no braço e na parte inferior da barriga. Ela está internada não apenas por essas agressões, mas pelo estado emocional dela,” informou o advogado. Segundo ele, a missionária foi mantida em cárcere privado na sede da PF das 7h às 16h. “Ela foi ontem ao Instituto Médico Legal (IML) e fez exame de corpo de delito e nós fizemos a devida ocorrência."

O advogado acrescentou que "tudo isso será apurado." Cestaro disse ainda que os delegados da PF, identificados por ele como Agnaldo (Mendonça) e Ane (Vidal), que estão presidindo o inquérito que apura o envolvimento de Antônia Lúcia numa suposta compra de votos, foram denunciados no Ministério Público Federal (MPF).

Afastamento

“Vou pedir o afastamento desses dois delegados. Eles não podem presidir esse inquérito policial. Mesmo se a polícia deste Estado não atender a nossa súplica, nós vamos à Brasília. Vamos até aonde for para afastar esses delegados que não podem de forma alguma presidir esse inquérito.” Cestaro acusou os policiais de induzir o depoimento de um dos investigadas no caso da distribuição de combustíveis.

Durante a coletiva um funcionário da missionária entregou a Cestaro exames e o laudo do IML, mas ele informou que apresentaria os documentos somente nesta sexta-feira (24), quando a candidata Antônia Lúcia deve conceder uma entrevista coletiva. Além de Antônia Lúcia outros dois candidatos do PSC identificados como Márcio Ribeiro, de Cruzeiro do Sul e Denilson Segóvia prestaram esclarecimento à PF.

Ação gravada

A Polícia Federal não se pronunciou oficialmente sobre as declarações do advogado de Antônia Lúcia. Mas, funcionários da PF garantem que os agentes não agiram com truculência. E que, como em outros casos de investigações com repercussão nacional, os agentes da PF filmaram a operação e o depoimento da candidata.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG