Adversários e aliados tentam 'herdar' votos de Quércia em SP

Além das disputas entre PPS e PSDB, Netinho de Paula (PCdoB) e Ricardo Young (PV) afirmam que podem ser favorecidos por ausência

Matheus Pichonelli e Rodrigo Rodrigues, iG São Paulo |

A renúncia oficial do candidato Orestes Quércia (PMDB) à corrida pelo Senado Federal por São Paulo efetivou-se há apenas dois dias, mas já é motivo de desentendimentos e disputas entre os principais candidatos ao Senado no Estado.

Agência Estado
O cantor e apresentador Netinho de Paula defendeu a divisão do tempo de TV de Oréstes Quércia (PMDB) entre todos os candidatos ao Senado no Estado de São Paulo
Além da briga entre o PPS , que quer indicar a ex-vereadora Soninha Francine para o lugar de Quércia, e do PSDB, que já herdou o horário eleitoral do aliado para a candidatura de Aloysio Nunes, o cantor e apresentador Netinho de Paula (PCdoB) também pretende usufruir desse direito e prega a divisão do horário eleitoral que cabia a Quércia.

Netinho disse nesta quarta-feira que vai contestar na Justiça a decisão da coligação adversária de usar o tempo de TV de Quércia em favor do tucano Aloysio Nunes, que concorre ao mesmo cargo.

Segundo o candidato do PCdoB, já existe uma jurisprudência no TSE (Tribunal Superior Eleitoral) sobre o assunto que garante a divisão do tempo de TV entre os candidatos e “o TRE vai ficar de olho nisso”.

Apesar de se dizer chateado com o problema de saúde enfrentando por Quércia e lamentar a ausência do adversário na corrida eleitoral, Netinho afirmou que o departamento jurídico de seu partido já está “acompanhando o caso” e “tomando providências” para que o tempo de TV de Quércia não seja incorporado ao programa dos tucanos.

“Não muda nada na nossa campanha. A gente vai continuar trabalhando, mas tem que seguir a legislação. E a legislação diz que o tempo deve ser distribuído”, disse Netinho.

Apoio do PMDB
Sobre o impacto direto da retirada da candidatura de Quércia para sua campanha, Netinho disse que não consegue “precisar” essa mudança, mas disse que certamente será favorecido. “É evidente que uma boa parte das pessoas que iam votar nele pode migrar para mim e também para outros candidatos. Isso vai causar efeitos”, afirmou.

O pagodeiro também afirmou que doze ou treze prefeitos do PMDB já ligaram para ele prometendo apoio em suas respectivas cidades. Apesar de dizer que não poderia revelar o nome desses prefeitos, Netinho garantiu que terá apoio de um grande número de correligionários de Quércia.

Reprodução
O empresário Ricador Young, candidato ao Senado por São Paulo na chapa de Marina Silva (PV). Para ele, "Tuma precisa ser honesto e transparente com seus eleitores"
Verdes de olho
Assim com o pagodeiro, o candidato do PV, Ricardo Young, também disse nesta quarta que pode ser favorecido pela ausência de Quércia na disputa pelas duas vagas de senador por São Paulo.

Apesar de ter 2% das intenções de voto na última pesquisa Datafolha, o candidato do PV disse que a ausência do peemedebista abriu uma “brecha de eleitores em busca de candidatos sérios e experientes”.

Yong afirmou que a reivindicação de Netinho é justa e também estuda ao lado no Partido Verde como entrar na Justiça para também poder 'herdar' parte do horário eleitoral do PMDB. "O tempo de tv não é da coligação. Ele é calculado pela representação do partido e pertence a ele. A partir do momento que o candidato deixa o pleito, a divisão de horário precisa ser reavaliada pela Justiça Eleitoral", disse.

Além de comemorar a ausência de Quércia, Ricardo Young sugeriu que o candidato Romeu Tuma (PTB), que se encontra em tratamento médico, deveria fazer o mesmo:

“O Tuma está gravemente doente e o maior problema dele vir a ser eleito é que ele está conduzindo seus eleitores para o suplente. Como já disse várias vezes, no Brasil os suplentes são escolhidos de forma completamente antidemocrática e oportunista pelos partidos”, declarou o candidato do PV. “Creio que o Tuma terá a mesma coragem e dignidade do Quércia, de ser honesto e transparente com seus eleitores e dizer ‘votem em outras pessoas porque não vou poder levar a cabo a confiança que você eleitor tá depositando em mim’”, afirmou Young.

nullTucano na TV
Em busca dos eleitores órfãos de Quércia, o candidato do PSDB ao Senado, Aloysio Nunes Ferreira (PSDB), apareceu em seu programa eleitoral desta quarta-feira anunciando a desistência do aliado por questões de saúde. Já utilizando o horário eleitoral do companheiro de chapa, Aloysio dedicou parte do programa para pedir o apoio dos que pretendiam votar no peemedebista.

“O Quércia não é mais candidato por motivos de saúde e teve a grandeza de declarar apoio à minha candidatura. Eu queria dizer a vocês, eleitores do Quércia e companheiros do PMDB, que vou continuar essa luta”, disse o candidato tucano na abertura de seu programa eleitoral na TV.

Enquanto os adversários e os próprios aliados brigam, no site de Quércia já é possível encontrar um banner logo no início do acesso, onde a foto do peemedebista é exibida ao lado de Aloysio Nunes com os dizeres: "Quércia manifesta apoio a Aloysio Nunes".

Reprodução
Imagem retirada no site oficial de Orestes Quércia (PMDB), que retirou sua candidatura por motivos de saúde e agora pede votos para Aloysio Nunes


*Colaborou Ana Paula Prado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG