75 candidatos não nascidos no Brasil apresentam registro no TSE

Constituição só proíbe ocupar cargos de presidente da República, vice e presidentes do Senado e da Câmara

Adriano Ceolin, iG Brasília |

Setenta e cinco candidatos não nascidos no Brasil vão disputar a eleição deste ano, de acordo com dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) atualizados até o dia 13 de julho. O número equivale a apenas 0,37% do total de candidatos que apresentaram registro de candidatura.A maior parte integra a lista de concorrentes ao cargo de deputado estadual, 48 nomes.

Pela Constituição, brasileiros naturalizados podem disputar cargos eletivos. No entanto, estão impedidos de ocupar a presidência da República, a vice- presidência e as presidências da Câmara ou do Senado (escolhidos em eleições internas no Congresso).

Na disputa por governos estaduais, há apenas um candidato: André Puccinelli (PMDB), governador do Mato Grosso do Sul que tenta a reeleição. Ele nasceu em Viarregio, na Itália. Mudou-se para o Brasil antes de completar um ano de idade.

Antes de ser governador, Puccinelli já ocupou os cargos de prefeito de Campo Grande, deputado estadual e deputado federal. Em 2006, ele foi eleito governador com 726.806 votos. Este ano, terá como principal adversário o ex-governador José Orcírio dos Santos (PT), conhecido como Zeca do PT.

Entre os demais candidatos não nascidos no Brasil, há outros seis concorrentes que já detêm cargos eletivos e vão tentar mantê-los ou trocá-los na eleição deste ano. Para o Senado, há apenas um candidato naturalizado: João Batista da Silva, candidato do PSOL no Mato Grosso do Sul.

Com um total 15 nomes, Rondônia é a unidade da federação com maior número de candidatos que se registraram como brasileiros naturalizados. O Estado de São Paulo, com 14 candidatos, fica em segundo lugar. Bem atrás, está Roraima com cinco candidatos não nascidos no Brasil.

    Leia tudo sobre: Eleições 2010candidatosTSE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG