587 urnas foram trocadas e 42 pessoas presas em duas horas

Máquinas são 0,1% do total. TSE registrou 42 ocorrências com prisão por corrupção, propaganda e boca de urna até as 10 horas

Priscilla Borges, iG Brasília |

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral, Ricardo Lewandowski, acabou de fazer um balanço das eleições no País. Segundo ele, até o momento o processo segue tranquilo em todas as regiões brasileiras, sem registro de grandes incidentes ou ocorrências. 

Segundo ele, apenas no Amazonas uma urna foi enviada a um local errado, e por isso as eleições nesta região terão de ser feitas manualmente. No entanto, isso não deve gerar grandes transtornos, já que é apenas em um local de votação. Além disso, apenas 0,147% das urnas tiveram de ser substituídas por alguma falha ou defeito. “O que posso dizer até esse momento é que as eleições estão tranquilas em todo o país”, diz Lewandowski.

Das 400 mil urnas distribuídas pelo País, apenas 587 precisaram ser substituídas, segundo balanço das 10 horas. O tribunal espera que votem neste domingo 135.884.852 eleitores em 419.548 seções.

Está praticamente encerrada a votação de brasileiros que moram no exterior e se cadastraram para voto em trânsito – somente para presidente. Segundo ele, apenas em uma localidade a votação ainda não foi encerrada, por causa do fuso horário. Em Paris, por causa da greve na cidade, não foi possível entregar a urna a tempo e os votos foram feitos manualmente. De acordo com números do TSE, mais de 200 mil eleitores brasileiros residentes no exterior devem votar para escolher o novo presidente.

No Brasil, o total de eleitores que se cadastraram para votar em trânsito é de 80 mil e, segundo o presidente do TSE, o processo também transcorre tranquilamente, sem maiores incidentes. Lewandowski considera que a experiência está sendo bem-sucedida – está é a primeira vez que se realiza voto em trânsito no País. Por ser novidade, ele afirma que os cidadãos ainda não se acostumaram e por isso muitos não se cadastraram, mas a tendência é que o número de eleitores em trânsito no Brasil seja muito maior nas próximas eleições.

Pelo sucesso da experiência nestas eleições, ele afirma que é natural que o número se amplie para mais cidades – esse ano só o voto em trânsito só está sendo realizado nas capitais. Lewandowski e a mulher também votaram em trânsito mais cedo, às 10h15. Eles ficaram cerca de 2 minutos no local e não enfrentaram fila – o presidente do TSE pediu licença a uma senhora de 68 anos que esperava para votar e entrou na sessão, o que gerou certo um constrangimento e um pedido de desculpas. Por ser da Justiça Eleitoral, ele tem direito a entrar diretamente na sessão, conforme artigo 143 do Código Eleitoral, parágrafo segundo.

Prisões

Quarenta e duas ocorrências com prisão foram registradas na manhã deste domingo, segundo o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O primeiro boletim, cujos números foram fechados às 10 horas, revela que a maior parte das prisões ocorreu por causa de divulgação de propaganda (14), corrupção eleitoral (13) e boca de urna (11). Além dessas, há três registros de detenção por transporte ilegal de eleitores.

O total de ocorrências chega a 103. Entre os 61 casos sem prisão, a divulgação de propaganda eleitoral também lidera as justificativas dos registros. Minas Gerais é o Estado que detém o maior número dos casos de infração às leis eleitorais. Na seqüência, estão Mato Grosso do Sul e Distrito Federal. Apesar disso, o presidente do TSE, Ricardo Lewandowski, garante que as eleições estão ocorrendo de forma tranqüila em todo o País.

    Leia tudo sobre: tseeleiçoespleito 2010

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG