Em votação tumultuada em colégio na zona sul de São Paulo, candidato do PRB voltou a rebater críticas de Haddad e disse que estará no 2º turno, apesar de queda nas pesquisas

O candidato do PRB à Prefeitura de São Paulo, Celso Russomanno , votou neste domingo no Colégio Santo Américo, na zona sul da capital, e voltou a criticar os adversários na corrida pela sucessão paulistana pelos ataques à sua candidatura.

Em uma votação tumultuada, Russomanno teve de responder novamente a um batalhão de repórteres sobre sua proposta de cobrar dos usuários do transporte público uma tarifa proporcional à distância percorrida. O plano foi duramente criticado pelos concorrentes, principalmente pelo petista Fernando Haddad , que disse que os moradores dos bairros mais distantes do centro, na periferia, que geralmente fazem deslocamentos maiores pela cidade, serão prejudicados.

Saiba mais: Acompanhe a cobertura completa das eleições 2012

Celso Russomanno, que concorre para prefeito de São Paulo (SP), vota na Vila Sônia, zona oeste da capital paulista
Futura Press
Celso Russomanno, que concorre para prefeito de São Paulo (SP), vota na Vila Sônia, zona oeste da capital paulista

“Não muda nada. O Bilhete Único continua o mesmo. A única coisa que eu propus é que as pessoas que fossem até a feira, ao mercado, à padaria, ou visitar um parente, que passassem apenas por três ou quatro pontos (de ônibus), pagassem menos”, afirmou o candidato do PRB. “Não precisa pagar R$ 3 para cada três ou quatro pontos. É só isso. O resto vai continuar igual, não muda absolutamente nada.”

Russomanno chegou ao local de votação por volta das 10h10, acompanhado pelo presidente nacional do PRB, Marcos Pereira, pelo candidato a vice em sua chapa, Luiz Flávio Borges D’Urso, pela esposa e pelo filho. Primeiro, o candidato acompanhou a mulher em sua sala de votação e, depois, cercado por dezenas de jornalistas, votou ao lado do filho. O garoto, de dez anos, pediu ao pai que posasse para as câmeras fazendo o número “10” com as mãos – em referência ao número do partido.

Lula: Eleitor de SP se preocupa mais com o Palmeiras do que com o mensalão

Leia também:  'Fomos os que mais crescemos', diz Haddad

Pesquisas: Em São Paulo, empate triplo embola a disputa na maior cidade do País

Além de, mais uma vez, explicar a proposta de cobrança de tarifa proporcional no transporte público, Russomanno também condenou o que qualificou como “ataques” dos principais adversários. “(Fui alvo de) Todos os ataques possíveis e imagináveis, inclusive mentira descarada”, disse o candidato. “A gente chegou até aqui porque a população gosta da gente, do nosso trabalho e das nossas propostas. Fizemos uma campanha sem esses ataques pessoais. Quando se faz uma campanha com ataques, se desrespeita os eleitores”, repetiu.

Antes disso, o candidato do PRB passou por situação constrangedora. Uma mulher se negou a estender a mão para ele enquanto cumprimentava eleitores na entrada do colégio. Russomanno nega o ocorrido. Ao chegar ao seu escritório político, no Planalto Paulista, na região centro-sul da capital paulista, afirmou que sequer viu uma mulher que recusou-se a cumprimentá-lo durante a votação. "Eu não vi. Então você viu demais", disse, ao ser indagado pelos repórteres sobre o ocorrido.

Em queda nas últimas pesquisas de intenção de voto, Russomanno demonstrou confiança em estar no 2º turno e preferiu não responder contra quem espera fazer a disputa final da eleição. “Não tenho nenhuma preferência. Vamos para o 2º turno contra quem for”, disse. “E nós teremos, agora, o mesmo tempo de televisão, mais espaço para discutir a cidade, coisa que a gente não tinha.”

Segundo a mais recente pesquisa do Datafolha, divulgada no último sábado (6), Celso Russomanno tem 27% dos votos válidos – um ponto percentual a menos que José Serra (PSDB), que aparece com 28%. Neste levantamento, Fernando Haddad (PT) tem 24% dos votos válidos. Já de acordo com a pesquisa do Ibope, também divulgada no sábado, os três candidatos estão rigorosamente empatados, com 26% dos votos válidos.

Após votar neste domingo, Russomanno deixou o Colégio Santo Américo com seus apoiadores e familiares. Ele deve acompanhar a apuração dos votos, a partir das 17h, em seu escritório político, na zona sul de São Paulo.

*Com Agência Estado

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.