Patrus Ananias desconfia das pesquisas em BH e aposta em segundo turno

Ex-prefeito colocou em xeque os últimos levantamentos de intenções de voto que, apesar de registrarem crescimento de sua candidatura, preveem que a eleição possa ser definida no primeiro turno

iG Belo Horizonte - Daniel Leite Andrade |

Convocando a militância petista, pedindo aos eleitores que reflitam antes de decidir quem escolher nas urnas, e descrente quanto às pesquisas que o colocam em segundo lugar na corrida pela prefeitura de Belo Horizonte, o candidato do PT, Patrus Ananias, votou pouco antes de 11h deste domingo, na Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC Minas).

O petista esteve acompanhado do ministro da Indústria, Desenvolvimento e Comércio Exterior, Fernando Pimentel, do seu candidato a vice, Aloísio Vasconcelos, do ex-ministro, Luiz Dulci, de familiares e correligionários.

Acompanhe a cobertura completa das eleições 2012

Veja fotos do impacto do material de campanha pelas ruas

Patrus fez um apelo aos eleitores. “Que continuem voto a voto porque o processo eleitoral só termina hoje às 17h. Quero pedir que continuem trabalhando, e pedir também a reflexão daqueles que ainda não decidiram o seu voto”.

O ex-prefeito colocou em xeque os últimos levantamentos de intenções de voto que, apesar de registrarem crescimento de sua candidatura, preveem que a eleição possa ser definida no primeiro turno, em favor do atual prefeito Marcio Lacerda, do PSB. “As pesquisas têm oscilado muito. Têm pesquisa que já apontam empate, e estamos sentido clima muito positivo. Estou com muita convicção de que nós vamos para o segundo turno e vamos ganhar as eleições e fazer mais e melhor”.

A exemplo do que fez durante toda a campanha, o ex-prefeito criticou novamente os setores de saúde e educação.

Fernando Pimentel, um dos apoiadores da aliança entre PT, PSDB e PSB que elegeu Lacerda em 2008, disse que estão em jogo dois projetos. Um que começou a ser desenvolvido quando Patrus foi prefeito, em 1993, e teve continuidade com outros prefeitos petistas, inclusive o próprio ministro. O outro projeto, na avaliação de Pimentel, é do PSDB. “Agora a cidade vai fazer sua escolha, se quer a continuidade do nosso projeto, liderado pelo Patrus, ou se vai optar pelo projeto tucano”. Questionado se a vitória do PT evitaria que os tucanos passassem a comandar a prefeitura da maior cidade de Minas e, de certa forma, o Estado, Pimentel disse que “Minas não tem dono”.

Durante a semana, uma polêmica envolveu a presidente Dilma Rousseff e o senador Aécio Neves, do PSDB. O ex-governador mineiro disse que Dilma seria uma “estrangeira” em Minas, referindo-se ao fato dela ter feito carreira pública no Rio Grande do Sul. A petista rebateu dizendo que saiu da capital mineira, onde nasceu, porque era perseguida pela ditadura.

Patrus Ananias vai acompanhar a esposa em votação em outra seção eleitoral e, em seguida, o seu candidato a vice, Aloísio Vasconcelos, e a esposa dele, que também votarão.

Justiça julga caso de transferência de votos de 13 eleitores em Minas

Em Belo Horizonte, disputa entre PT e PSB vira ensaio para a corrida de 2014


    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG