Ao votar, Haddad ouve de eleitora: 'Aperto sua mão, mas quero que Serra ganhe'

Candidato petista à Prefeitura de São Paulo se diz confiante durante votação ao lado da mulher e dos filhos em Moema, bairro considerado um reduto tucano

Ricardo Galhardo - iG São Paulo | - Atualizada às

O candidato do PT à Prefeitura de São Paulo, Fernando Haddad , conversou com uma eleitora de seu rival do PSDB, José Serra , ao votar neste domingo. Após cumprimentar vários eleitores, Haddad ouviu de uma mulher: "Aperto sua mão, mas quero que o Serra ganhe". O candidato respondeu: "É um direito que você tem."

Leia também:  'Fomos os que mais crescemos', diz Haddad

Saiba mais:  Acompanhe a cobertura completa das eleições 2012

Futura Press
Candidato à prefeitura pelo PT, Fernando Haddad vota na Universidade Ibirapuera, em Indianópolis, acompanhado de sua família

Momentos antes, lideranças petistas que acompanhavam Haddad falavam, de forma irônica, sobre o fato de uma mesária ter se recusado a cumprimentar o candidato Celso Russomano

O petista votou acompanhado da mulher e dos filhos em uma faculdade no bairro de Moema, considerado um reduto tucano. Apesar disso, recebeu o apoio de vários eleitores, que desejaram boa sorte. Não houve hostilidade, mas a votação foi um pouco tumultuada pelo grande número de jornalistas e alguns humoristas de programas de televisão.

Lula: Eleitor de SP se preocupa mais com o Palmeiras do que com o mensalão

Leia também: Em São Paulo, empate triplo embola a disputa na maior cidade do País

Haddad disse estar confiante porque "o PT é um partido de chegada". "Em todas as eleições, vocês podem perceber que o PT cresce muito na última semana", disse. Segundo Haddad, grande parte dos eleitores deixa para tomar a decisão na última hora, quando a militância do PT faz a diferença. "A pessoa que passa duas horas no ônibus para ir e voltar do trabalho às vezes não tem tempo (de se informar). Na última semana, ela recorre a colegas de trabalho, lideranças do bairro, se informa melhor e toma a decisão."

Segundo pesquisas de opinião diárias feitas pelo PT, há um alto índice de eleitores indecisos, principalmente no setor intermediário da cidade, nos bairros entre o centro e a periferia. O voto desses indecisos é o que vai definir o segundo turno, na avaliação do partido.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG