Cesar Maia sobre a derrota: 'Foi a vontade do eleitor'

Ex-prefeito do Rio diz que resultado da disputa ficou 'dentro do esperado'; sem cargo eletivo, ele volta a ser secretário do DEM

Flávia Salme, iG Rio de Janeiro |

Derrotado na disputa ao Senado, o ex-prefeito Cesar Maia (DEM) afirma que não ficou surpreso com o resultado nas urnas e diz entender que "o eleitor fez valer sua vontade".

Cesar conquistou 1.627.050 (11)% votos válidos, um pouco mais que a metade do que cabalou o deputado Jorge Picciani (PMDB), ex-presidente da Assembleia Legislativa do Rio que ficou em terceiro lugar com 3.048.034 (20,7%).

Sobre o futuro, Cesar Maia diz que voltará à função de secretário de relações internacionais da Fundação Liberdade e Cidadania (FLC), "instituição oficial do Democratas destinada à realização de pesquisas científicas, estudos econômicos, políticos e sociais, e à promoção de cursos, seminários, patrocínio de convenções e de outros eventos de interesse partidário, com a finalidade de difundir a sua doutrina e seus postulados", como explica o artigo 80 do Estatuto dos Democratas.

A seguir, o ex-prefeito faz uma rápida analise sobre sua corrida ao Senado:

iG: O que o senhor achou do resultado nas urnas?
Cesar Maia
: Tudo dentro do esperado.

iG - O senhor já tem condições de explicar o que provocou a sua derrota?
Cesar Maia:  A vontade do eleitor.

iG - A quê atribui ter recebido menos votos que o deputado Jorge Picciani?
Cesar Maia: Os indecisos caminharam para ele.

iG - E a partir de agora, o que o senhor vai fazer?
Cesar Maia: O que faço desde fevereiro de 2009 ( cargo que assumiu após cumprir seu úlitmo mandato como prefeito do Rio; em dezembro de 2008 ): secretário de relações internacionais da FLC do DEM.

    Leia tudo sobre: eleições rjcesar maiasenado

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG