Regras para segundo turno das eleições são praticamente as mesmas; tire suas dúvidas para a hora do voto

Pouca coisa muda no segundo turno para os 135,8 milhões de eleitores brasileiros que decidem hoje quem será o sucessor do presidente Luiz Inácio Lula da Silva: a petista Dilma Rousseff (PT) ou o tucano José Serra (PSDB). Além do novo presidente do País, há eleição para governador em mais oito Estados e no Distrito Federal.

As regras para a votação são as mesmas em relação ao primeiro turno. Quem estiver devidamente registrado na Justiça Eleitoral deverá se dirigir à sua zona eleitoral munido de documento oficial com foto – carteira nacional de habilitação, passaporte, carteira de reservista ou carteira de identidade – dentro do prazo de validade.

Mesmo quem não votou no primeiro turno também é obrigado a votor no segundo. Os eleitores que não votarem devem justificar a ausência neste domingo, em qualquer posto de votação, ou em até 60 dias na sua própria zona eleitoral - portando requerimento preenchido e título de eleitor, ou documento oficial de identificação com foto.

Brasileira vota em Brasília, com ajuda de cola eleitoral
AP
Brasileira vota em Brasília, com ajuda de cola eleitoral

Aqueles que se cadastraram para o voto em trânsito também no segundo turno só poderão votar fora de sua zona eleitoral. Caso esteja de volta ao seu local de votação, mesmo com o cadastro para o voto em trânsito, precisará justificar.

Os eleitores que querem fugir das filas devem evitar o horário entre 10h e 13h. Isso é o que mostra levantamento feito pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sobre o fluxo de votação nas capitais do País durante o primeiro turno. No segundo turno, o horário matutino deve ficar ainda mais movimentado porque muitos eleitores viajarão para aproveitar o feriado de Finados.

Além das eleições presidenciais, em oito estados e no Distrito Federal, 19,4 milhões de eleitores vão escolher, ainda, os seus respectivos governadores. São eles: Alagoas, Amapá, Goiás, Pará, Paraíba, Piauí, Rondônia, Roraima.

Eleitorado brasileiro

O número total de votantes no País avançou 7,8% em relação a 2006, quando 125 milhões de eleitores estavam em dia com a Justiça Eleitoral. As mulheres continuam representando a maior fatia dos eleitores (51,8%), que novamente se concentram na faixa dos 25 aos 34 anos.

Já o total de adolescentes votando pela primeira vez diminuiu. Eleitores entre 16 e 17 anos somavam 2,5 milhões nas eleições anteriores. Hoje, devem exercer o direito ao voto 2,3 milhões de adolescentes - o voto não é obrigatório até os 18 anos.

Os Estados mais estratégicos para os candidatos, como em outras eleições, são: São Paulo, com 23,3% do eleitorado brasileiro; Minas Gerais, que reúne 10% dos votantes; Rio de Janeiro (8,5%) e Bahia (7%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.