Vice-diretora de escola é exonerada por questionar sexualidade

Educadora da Bahia suspendeu menino de 11 anos por ter flagrado "ato de indecência" em outro garoto

Thiago Guimarães, iG Bahia |

A vice-diretora de uma escola estadual de Salvador foi exonerada nesta sexta-feira por questionar a sexualidade de um aluno de 11 anos.Margnólia Oliveira, que trabalha no  Professora Armandina Marques, na periferia de Salvador, suspendeu o aluno por dois dias na semana passada. O motivo, segundo a própria educadora, foi ter flagrado a criança em atos de “ousadia e indecência” com um colega.

Ao abordar o garoto, a vice-diretora perguntou se a criança “gostava de homem ou de mulher”. Também enviou carta à mãe do garoto em que repetiu a questão e recomendou que “prestasse atenção” na criança por seu suposto comportamento “indecente”.

A servidora não foi localizada pela reportagem. Em entrevista à TV Bahia, Oliveira relatou como abordou o aluno: “Meu filho, como é que você faz um negócio desses? Você gosta de homem ou de mulher? Você é uma criança. Eu perguntei a ele dessa forma, e redigi (a carta) para que a mãe conversasse com seu filho.”

Com a identidade preservada, o menino declarou à TV Bahia que passava a mão na cabeça do colega durante brincadeira quando foi abordado pela vice-diretora. “Eu estava balançando a cabeça do meu colega (...) e a vice-diretora perguntou se eu gostava de homem”, disse. Oliveira não suspendeu o outro menino por considerar que ele foi “assediado”.

A mãe da criança apresentou uma reclamação contra a educadora na Secretaria da Educação, que anunciou a exoneração da vice-diretora por “atitude preconceituosa”.

“Lamentamos a atitude da vice-diretora. Nossa orientação é sempre no sentido da inclusão e de respeito às diferenças. Atuamos de forma pedagógica, na perspectiva de construção do indivíduo e sua cidadania, com inclusão social, de gênero e de respeito à diversidade”, disse, em nota, o chefe de gabinete da secretaria, Paulo Pontes.

Como é funcionária concursada, a vice-diretora perderá o cargo de chefia na escola, mas continuará a trabalhar na rede estadual de educação da Bahia.

    Leia tudo sobre: bahiavice-diretorasexualidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG