Professores de cursinho comentam Fuvest e elogiam tema da redação

Embora não seja muito praticado pelos estudantes, proposta agradou por ser ampla e menos subjetiva que anos anteriores

Cinthia Rodrigues, iG São Paulo |

Depois de anos com temas filosóficos subjetivos como a relação de imagens abstratas com a vida real (2010) e altruísmo (2011), a proposta de dissertação da Fuvest 2012 surpreendeu positivamente aos professores de cursinho. “ Participação política: indispensável ou superada ” foi considerada uma das melhores propostas de texto da temporada de vestibular.

A prova: Veja a redação e as questões de Lingua Portuguesa da Fuvest
Tema da redação: Participação política é tema da redação da Fuvest
Comparecimento: Primeiro dia da segunda fase da Fuvest tem 8,15% de abstenção
Esforço final: Candidatos na 2ª fase da Fuvest estudam até o último minuto
Último obstáculo: Segunda fase da Fuvest começou neste domingo com redação
Para saber mais: Internet favorece mobilização apartidária em regimes fechados

Para o diretor da Oficina do Estudante, de Campinas, Célio Tasinafo, o tema ainda segue a linha filosófica e não deixa de ser típico do vestibular da Universidade de São Paulo (USP), porém era mais desafiador e estava muito bem apoiado nos textos do enunciado. “Sem sombra de dúvidas, a melhor proposta da Fuvest dos últimos tempos. O estudante dificilmente se perde, vai entender pelos textos que a política é essencial, mas terá bastante a discutir.”

Amana Salles/Fotoarena
Sala de aula onde os estudantes fazem prova da segunda fase da Fuvest
O professor de língua portuguesa do Objetivo, Nelson Dutra, afirmou que foi um tema mais “agradável e amigável” para o vestibulando do que em edições anteriores da Fuvest. “Foi uma proposta objetiva e interessante. O candidato que está na segunda fase difícilmente vai pensar: e agora o que eu escrevo? Como aconteceu principalmente em 2010”, disse.

Segundo ele, os vestibulandos deveriam recorrer aos textos de apoio para argumentar. Também era possível trazer temas da atualidade, como a Primavera Árabe, desde que as questões sobre a politização natural e histórica do homem fossem pontuadas.

Questões de português e literatura

Dutra diz que de forma geral a prova deste ano foi um pouco mais exigente nas questões de literatura. “Exigiu-se mais conhecimentos das obras obrigatórias”, diz. Tasinafo concorda: “O aluno que leu só o resumo e não conhecia os personagens tende a perder alguns pontos.”

A questão considerada mais difícil era sobre o livro A Cidade e as Serras, de Eça de Queirós, por exigir também conhecimentos de história que permitissem a contextualização do termo “miguelismo” usado no livro e a história do Brasil. Miguel, no caso, era irmão do imperador brasileiro D. Pedro 1º e tomou o poder da filha do irmão. Ao final, D. Pedro deixa o Brasil, luta contra o irmão em Portugal e retoma a coroa lusitana.

A segunda fase da Fuvest terá mais dois dias de prova. Nesta segunda-feira, serão 16 questões de todas as disciplinas do núcleo comum do ensino médio e na terça, 12 perguntas de duas ou três áreas conforme a carreira pretendida.

Os estudantes que não levaram foto 3 x 4 neste domingo têm até o fim da etapa para levá-la.


    Leia tudo sobre: fuvestprovaredaçãolingua portuguesavestibular

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG