Faculdade da UnB em Ceilândia quer suspensão do vestibular 2012

Conselho do campus vai propor que não haja seleção de novos alunos até que obras de salas de aulas e laboratórios sejam concluídas

iG Brasília |

A Universidade de Brasília (UnB) não suspendeu ainda nenhuma seleção de novos alunos em 2012 para o campus da instituição em Ceilândia em 2012 – cidade-satélite localizada a 25 quilômetros do centro da capital. Ao contrário do que havia sido divulgado anteriormente, apenas o Conselho da Faculdade de Ceilândia votou a apresentação dessa proposta à reitoria. Mas ele não tem poder para tomar essa decisão e ainda não fez nenhum encaminhamento formal desse pedido à administração da universidade.

Agência Brasil
Cerca de 300 alunos invadiram na terça-feira (13) o auditório da reitoria para protestar contra atraso em obras
Desde o início da semana, estudantes ocupam o prédio da reitoria da UnB para reivindicar celeridade nas obras do campus, atrasadas há três anos. Na lista de pautas dos alunos, além de celeridade na conclusão das obras, estavam pedidos de melhorias nas condições de ensino da unidade e aumento da segurança na região do campus. Nesta quinta-feira, depois de reunião com professores e funcionários, a pauta foi alterada e a suspensão da entrada de novos alunos passou a ser cogitada.

De acordo com a diretora do campus em Ceilândia, Diana Pinho, o Conselho acredita que não há como garantir, dadas as condições atuais de infraestrutura do campus, um bom atendimento aos novos 130 alunos que serão selecionados para os cincos cursos oferecidos pela unidade no próximo semestre. Hoje, há 1,5 mil alunos no campus. “O Conselho deliberou por solicitar essa suspensão do vestibular não para penalizar a sociedade, mas por entender que não há como atender mais alunos com qualidade”, afirma.

A Faculdade de Ceilândia, porém, não tem liberdade para tomar essa decisão. “O que podemos fazer é encaminhar a solicitação às instâncias superiores da universidade. Para isso, vamos convocar uma reunião extraordinária do Conselho no início da próxima semana para aprovarmos a ata da última reunião e dar sequência a o processo”, conta. Diana lembra que não há cursos novos previstos para o campus nessa seleção, apenas no segundo semestre de 2012, quando se iniciará o curso de Fonoaudiologia.

Diana, que não tem voto no conselho por ser a presidente, é contra a proposta. “Temos um caminho a ser percorrido também durante esse processo de seleção, as obras continuarão em andamento. Precisamos avaliar o percurso. Não acho que podemos fazer isso (suspender o vestibular) com a sociedade e a comunidade de Ceilândia”, opina.

Atrasos e promessas descumpridas

O campus de Ceilândia funciona em instalações provisórias desde que foi criado, em 2008. Os primeiros alunos tiveram aulas no Núcleo de Práticas Jurídicas da UnB na cidade, depois eles foram transferidos para uma escola de ensino médio, espaço cedido pelo Governo do Distrito Federal, responsável pela primeira parte das obras. No local, há salas de aulas e laboratórios, mas a estrutura foi prevista para atender os ingressantes de quatro semestres. Já estão no sétimo. Duas turmas – de terapia ocupacional e gestão em saúde – se formarão no próximo.

A empreiteira contratada para construir o campus não cumpriu o contrato. O processo se arrasta desde 2009, quando as obras deveriam ter terminado. Depois da pressão dos estudantes, o reitor da UnB, José Geraldo de Sousa Junior, decidiu assumir a conclusão de um prédio de salas de aulas e de professores – cerca de 700 estudantes já circulam no novo campus em um prédio que ainda não está totalmente pronto – e o GDF se comprometeu a terminar outro. A previsão é de que as obras sejam concluídas até março de 2012.

O reitor José Geraldo reiterou que a suspensão de processos seletivos só é tomada em casos muito extraordinários. “A decisão de oferecer novas vagas é administrativa, baseada na possibilidade de oferecer novas vagas e fixada em edital. Não é uma decisão que passe pelos colegiados”, explica. Ele acredita que o tema pode ser discutido na próxima reunião do Conselho Universitário (Consuni), apesar de não estar na pauta, devido à “questão política que move o tema”.

Mas garantiu que a administração da UnB vai defender a manutenção das vagas e do vestibular. A próxima reunião do Consuni ocorrerá na sexta-feira, dia 23. “Temos uma situação complicada em função da infraestrutura do campus, que traz desconforto aos alunos, mas não obstáculo ao ensino. Estamos trabalhando em alternativas para resolver isso”, garantiu.

As inscrições para o vestibular da UnB começam no dia 26. O edital já foi divulgado.

    Leia tudo sobre: UnBvestibular 2012campus Ceilândia

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG