Candidatos iniciam vestibular da Unesp otimistas

1ª fase ocorre neste domingo com 90 questões objetivas. Em São Paulo, duas candidatas perdem prova por não portarem documentos

Carolina Garcia, iG São Paulo |

Duas semanas após o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) , estudantes de São Paulo voltam a prestar prova que vale ingresso para uma importante instituição pública: a Universidade Estadual Paulista (Unesp) . Neste domingo, mais de 90 mil realizam a primeira fase da seleção para 6.629 vagas. Destoando da maioria que chegou tranquila e bem humorada para a prova na Uninove, no bairro Barra Funda, em São Paulo, duas candidatas perderam o vestibular por não portarem documentos.

Saiba mais: página especial apresenta informações detalhadas sobre Vestibular

Carolina Garcia
Mãe busca a candidata Camila Fernandes, que não levou o documento e não pode fazer prova
A Unesp exige a identidade original com foto para ingresso no vestibular e não aceitou cópias, mesmo que autenticadas. Jackeline Silva de Oliveira, 18 anos, que espera cursar medicina, perdeu o documento no Metrô, a caminho da prova. Acompanhada pelo namorado, chorando muito, ela não se conformava e disse que teve um ano perdido.

Já a estudante Camila Fernandes, 18 anos, iria prestar o teste para direito, mas também não conseguiu entrar. Ela assumiu o erro de não ter lido o edital e não ter trazido o documento original. Como tinha levado só o autenticado para o Enem, supôs que a regra da Unesp fosse a mesma. “Não era para ser. Agora é só esperar e passar nas outras quatro faculdades”.

Tranquilidade e bom humor

Quem chegou cedo para a primeira fase da Unesp demonstrou otimismo e tranquilidade para responder as 90 questões objetivas deste domingo. Carolina Fucks, de 19 anos, que já prestou a prova da Unesp uma vez, quer estudar Ciências Biológicas. Ela conta que se sente mais preparada, já que a primeira tentativa serviu para avaliar pontos fracos e, principalmente, aprender a administrar o tempo.

Leia também: Com bom humor, vendedores ‘salvam’ vestibulandos desprevenidos

“O segredo é tomar muito suco de maracujá e se concentrar para lidar com tempo. Na primeira vez, não consegui terminar, me senti mal porque sabia que tinha chances”, lamentou. Carolina começou em outubro a maratona de vestibulares deste ano, mas até agora concorreu a vagas apenas em faculdades privadas (Unisa, Unisantos e Unisanta), além do Enem. “A prova de hoje é a primeira para uma estadual. Não estou nervosa, afinal tudo que tinha que estudar, já fiz”, diz decidida e bem humorada.

Henrique Castro, de 17 anos, candidato a vaga em medicina, sonha em se especializar em geriatria. É a primeira vez que faz a prova da Unesp, embora sua primeira opção seja a Unifesp. A escolha por ser médico está na família de Henrique há três gerações, que conta ter o pai, o avô e tios médicos.

Para ele, todas as dicas são válidas. “Como a medicina faz parte do meu cotidiano, me sinto tranquilo para a prova e para os vestibulares que estão por vir”, conta Henrique, que também se prepara para a Unifesp e a Fuvest. “Minha vantagem é que trato esse dia como qualquer outro. Não deixo o nervosismo me abalar”, diz ao garantir que quatro horas e meia é tempo suficiente para responder as 90 questões. “Penso que terminarei em quatro horas, só sei que não vou ser o último a sair”.

O vestibular começou neste domingo às 14h, e os candidatos tinham até 18h30 para concluir o teste. Após duas horas, já poderiam deixar as salas do exame.

Amana Salles/Fotoarena
Prestando Unesp pela 2ª vez, Carolina Fucks diz que vai conseguir administrar melhor o tempo

Para Amanda Nunes, de 17 anos, que está terminando o ensino médio este ano, passar não é uma situação de desespero. Ela presta a Unesp para cursar psicologia, mas não encara a disputa como uma situação de vida e morte. “Se não passar, tudo bem”. Enquanto ouvia Rage Against the Machine e esperava a abertura dos portões, Amanda contou que o que a deixa mais preocupada é a instabilidade do Enem.

“Das 13 questões ( antecipadas pelo colégio em Fortaleza ), acertei 10. Preciso de uma boa nota no exame para entrar na UFSCAR . Se optarem por anular no Brasil inteiro, seria uma ação injusta”, defende. Nos últimos dias, para evitar frustrações, ela optou por não assistir ao noticiário. Durante a semana que passou, uma liminar cancelou 13 questões do exame, mas a decisão foi derrubada e todas estão valendo .

Apoio do namorado

Amana Salles/Fotoarena
Lara Berardo conta com o apoio do namorado André Brazão até a porta da prova
Lara Berardo, de 20 anos, que tenta pela segunda vez uma vaga na Unesp para medicina, conta com o apoio do namorado André Brazão, de 24 anos, até o último momento. Se preparando para o curso desde a oitava série e planejando se especializar em cardiologia ou neurologia, ela diz que André é responsável por toda a logística e administração de seus estudos.

Há mais de dois anos, ele vai todos os dias buscá-la no cursinho às 22h. Além disso, organiza a agenda de inscrições e provas da vestibulanda. Lara também recorre a ele sempre que sente alguma frustração. Há dois anos, quando não conseguiu terminar de escrever a redação com caneta na prova da Unicamp, saiu da prova desesperada e não voltou para casa. Foi André quem conseguiu tranquilizá-la.

Formado em publicidade e propaganda pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, André reconhece que a rotina de estudos dos dois é muito distinta. “Muito diferente, porém perfeito para ela, que sempre é muito atenciosa. Ela tem um olhar clínico. Com certeza está na área certa”, diz. O jovem acrescenta que não se preocupa com as diferenças de ritmo. “Se até agora conseguimos ficar junto, tudo vai dar certo. Vai ser um pouco mais complicado quando ela entrar na faculdade, mas vamos nos acostumar”, diz, confiante na aprovação da namorada.

Veja fotos dos candidatos do vestibular da Unesp neste domingo:

    Leia tudo sobre: vestibularprovasunesp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG