Candidatos consideram fácil prova da primeira fase da Unesp

Vestibulandos responderam perguntas sobre poema do século 18 e interpretaram texto sobre morte da cantora Amy Winehouse

iG São Paulo |

Candidatos ouvidos pelo iG consideraram fácil a prova da primeira fase do vestibular do meio do ano da Universidade Estadual Paulista (Unesp), realizada na tarde deste domingo. Segundo a universidade, a taxa de abstenção foi de 8,9%.

Gabarito: Veja as respostas das questões da prova da Unesp deste domingo  (pdf)

Questões: Consulte a prova de Conhecimentos Gerais aplicada neste domingo (pdf)

O exame foi composto por 90 questões de múltipla escolha, sendo 30 de cada núcleo: Ciências Humanas (elementos de História, Geografia e Filosofia), Ciências da Natureza e Matemática (Física, Química, Biologia e Matemática) e Linguagens e Códigos (Língua Portuguesa, Literatura, Arte, Educação Física e Língua Inglesa). A prova será avaliada na escala de 0 a 100 pontos.

“A parte mais difícil para mim foi a de exatas. Se tivesse mais conteúdo, talvez tivesse me saído melhor ”, disse Marcos Vinícius Sokab, 19 anos, que tenta uma vaga no curso de Geografia.

A maioria dos candidatos considerou fácil a prova de interpretação, apesar dos temas pouco usuais. Em Literatura os estudantes tiveram que interpretar um trecho do poema “Marília de Dirceu”, escrito no século 18 pelo poeta inconfidente Tomás Antonio Gonzaga. Além disso, a prova teve diversas perguntas sobre um texto a respeito do futebol. Na prova de inglês os candidatos tiveram que interpretar um artigo sobre a morte da cantora Amy Winehose.

“No geral a prova foi mais fácil do que outras como a Fuvest, por exemplo”, disse Lucas Murani, 18, candidato a uma vaga no curso de Engenharia Civil.

Veja também: Calendário do vestibular Unesp 2013

A tradicional cena de candidatos atrasados voltou a se repetir na unidade Pinheiros da Unip, um dos locais de prova. Uma garota que não quis se identificar chegou alguns segundos depois do fechamento dos portões, às 14h, e ainda tentou argumentar. “Recebi um e-mail dizendo que a prova era às 14h30. Estava doente até ontem. Acabei de sair do hospital”, disse ela, sem sucesso.

Já Rodrigo de Carvalho, 17, que ainda não terminou o terceiro ano do ensino médio e concorreria a uma vaga para Engenharia Mecânica, foi mais objetivo. “Moro lá em Diadema. Peguei trânsito para chegar aqui mas não dá para inventar desculpa. Foi irresponsabilidade minha”, disse Rodrigo. “Tudo bem. No final do ano estaremos aqui outra vez”, completou.

    Leia tudo sobre: unespvestibulareducação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG