Veja quanto o universitário gasta com transporte

Morar perto da universidade pode gerar economia de gastos com transporte. Entretanto, nem sempre é possível encontrar um imóvel nas proximidades do campus. A melhor opção é procurar a moradia em locais onde haja acesso a transporte público.

Anderson Dezan, Carolina Rocha e Priscilla Borges |

Em São Paulo, a passagem custa R$ 1,35 para o estudante (metade do preço) e o custo médio com transporte para quem utiliza apenas dois ônibus (um para ida e um para volta) por dia sai por R$ 59,40 ¿ contando 22 dias úteis no mês.

Em Campinas, o valor da passagem para o estudante é de 40% da tarifa vigente, ficando em R$ 1,04 ¿ um total de R$ 45,76 ao mês, com média de 22 dias úteis. Londrina tem a passagem no valor especial de R$ 1,12, gerando um custo de R$ 49,28 em média para o mesmo período. Os estudantes de São Carlos pagam pela passagem R$ 1,15, totalizando R$ 50,60 mensais.

Na capital paulista e em Campinas, o estudante também pode adquirir o bilhete único que, num período de três horas, permite que ele pegue até três conduções diferentes, além da integração com as linhas de ônibus e metrô, por preço reduzido.

Rio de Janeiro

A passagem de ônibus custa R$ 2,35 no Rio de Janeiro. No total, contando 22 dias úteis no mês com uma passagem de ida e outra para volta, o estudante terá um gasto de R$ 103,40. Para aqueles que utilizam metrô ou barca o gasto é ainda maior. Uma passagem custa R$ 2,80, totalizando mensalmente R$ 123,20. No trem, a passagem custa R$ 2,50. Em 22 dias, com ida e volta, o gasto total será de R$ 110.


Brasília

O argumento dos estudantes para deixar de alugar apartamentos em regiões mais distantes do Plano Piloto, em Brasília, é simples: mais perto da universidade, eles não enfrentam as dificuldades com o transporte público (ônibus lotados e passagens caras). Dependendo da localidade escolhida para morar, teria de pegar dois ônibus para chegar à UnB. As passagens de ônibus no Distrito Federal variam de R$ 2 a R$ 3, dependendo da região.

Os valores agora, no entanto, já não são mais o grande problema dos alunos brasilienses. Uma lei sancionada em janeiro garante passe livre para quem cursa o ensino fundamental ou médio, educação superior ou faz cursos técnicos ou profissionalizantes. Cada aluno tem direito a até 54 passes mensais gratuitos para fazer o itinerário casa-escola-estágio-casa, seja em ônibus, micro-ônibus ou metrô.

    Leia tudo sobre: gastosuniversidade pública

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG