Veja o desempenho das instituições e dos cursos no Enade

Um em cada três cursos é de baixa qualidade. Entenda o ranking e os indicadores da avaliação do ensino superior brasileiro

iG São Paulo | 13/01/2011 15:27 - Atualizada às 18:04

Compartilhar:

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta quinta-feira os resultados do Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) 2009 e a avaliação das instituições de ensino superior no triênio 2007-2008-2009. As informações disponibilizadas pelo MEC permitem aos estudantes consultar o desempenho dos cursos em diversos indicadores e a pontuação atingida pelas instituições.

- Veja o desempenho dos cursos avaliados no Enade 2009
- Veja a avaliação das instituições no Índice Geral de Cursos (IGC) 2009

Em 2009 foram avaliadas 6.804 graduações em administração, arquivologia, biblioteconomia, ciências contábeis, economia, comunicação social, design, direito, estatística, música, psicologia, relações internacionais, secretariado executivo, teatro e turismo, e os cursos superiores de tecnologia em design de moda, gastronomia, gestão de recursos humanos, gestão de turismo, gestão financeira, marketing e processos gerenciais.

Os principais indicadores do Enade são:

- Conceito Enade - relativo ao desempenho dos estudantes concluintes na prova do Enade
- Indicador de Diferença entre os Desempenhos Observado e Esperado (IDD) - aponta o quanto o desempenho do estudante cresceu durante o curso
- Conceito Preliminar de Curso (CPC) – indicador mais completo, usado para rankiar as instituições de ensino. Leva em conta o Conceito Enade, o IDD, além de outros aspectos, como a nota dos ingressantes, o corpo docente do curso, e a percepção dos alunos quanto à infraestrutura e organização didático-pedagógica

Quase 34% dos cursos superior obtiveram resultado insatisfatório. Ao todo, 1.696 graduações tiveram nota 1 ou 2 no Conceito Preliminar de Curso (CPC), isso significa que um em cada três cursos é de baixa qualidade. A maioria dos cursos (51,47%) foi considerada razoável – obteve nota 3. Apenas 15% atingiram CPC 4 e 5.

Dentro do processo de regulação, todos os cursos com nota inferior a 3 serão visitados por comissões de supervisão do MEC. A partir do diagnóstico, pode ser firmando um protocolo de compromissos com medidas para sanar as deficiências como redução das vagas e proibição de novos ingressos.

Pouco mais de 1,8 mil cursos ficaram sem conceito. Isso ocorre quando a amostra de alunos participantes das avaliações que compõem o CPC é considerada insuficiente.

Índice Geral de Cursos

Com o CPC e a Nota Capes (avaliação dos programas de mestrado e doutorado), o Ministério da Educação traça o Índice Geral de Cursos (IGC), indicador que mensura a qualidade das instituições de educação superior. O IGC considera a qualidade dos cursos de graduação (CPC) e de pós-graduação (Nota Capes).

Em 2009, 2.137 instituições foram avaliadas pelo IGC (344 não tiveram conceito). Apenas 25 alcançaram o conceito máximo (5), equivalente a 1,39% do total de instituições avaliadas e 124 tiveram nota 4 (6,92%). A maioria das instituições, 945, teve desempenho regular (3). Mais de 38% tiveram desempenho insatisfatório (conceitos 2 e 1), 699, e ficarão sob supervisão do MEC. Elas devem sanar as deficiências e, caso não sejam aprovadas pelo ministério, podem ter seus cursos descredenciados.

Como cada área do conhecimento é avaliada de três em três anos no Enade, o IGC leva em conta sempre um triênio. Assim, o IGC 2009 considerou os CPC’s dos cursos de graduação que fizeram o Enade em 2009, 2008 e 2007. Com relação à pós-graduação, utilizaram-se os conceitos Capes da trienal 2010.

O CPC inclui a nota de alunos ingressantes e concluintes no Enade. Por isso, instituições novas ainda não têm este indicador e também não apresentam o conceito IGC.

Veja as 25 melhores instituições de ensino superior, de acordo com o Índice Geral de Cursos:

Instituições IGP-Contínuo IGP faixa
1 - ESCOLA BRASILEIRA DE ECONOMIA E FINANÇAS (EBEF) 487 5
2 - FACULDADE DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS (FACAMP) 474 5
3 - ESCOLA DE ECONOMIA DE SÃO PAULO (EESP) 469 5
4 - INSTITUTO TECNOLÓGICO DE AERONÁUTICA (ITA) 468 5
5 - INSPER INSTITUTO DE ENSINO E PESQUISA (INSPER) 444 5
6 - ESCOLA DE GOVERNO PROFESSOR PAULO NEVES DE CARVALHO (EG) 440 5
7 - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO (UNIFESP) 440 5
8 - ESCOLA DE ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS DE SÃO PAULO (FGV-EAESP) 439 5
9 - FACULDADE DE ODONTOLOGIA SÃO LEOPOLDO MANDIC (SLMANDIC) 433 5
10 - FACULDADE FUCAPE (FUCAPE) 431 5
11 - INSTITUTO MILITAR DE ENGENHARIA (IME) 430 5
12 - FACULDADE DE MEDICINA DE SÃO JOSÉ DO RIO PRETO (FAMERP) 424 5
13 - FACULDADE DE ECONOMIA E FINANÇAS IBMEC (FACULDADES IBMEC) 423 5
14 - FACULDADE JESUÍTA DE FILOSOFIA E TEOLOGIA (FAJE) 423 5
15 - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL (UFRGS) 422 5
16 - UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS (UFLA) 420 5
17 - ESCOLA BRASILEIRA DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA E DE EMPRESAS (EBAPE) 420 5
18 - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS (UFMG) 417 5
19 - FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA (UFV) 410 5
20 - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS (UFSCAR) 406 5
21 - CENTRO UNIVERSITÁRIO MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ (USJ) 406 5
22 - FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE CIÊNCIAS DA SAÚDE DE PORTO ALEGRE (UFCSPA) 405 5
23 - UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO (UFTM) 404 5
24 - ESCOLA DE DIREITO DE SÃO PAULO (DIREITO GV) 402 5
25 - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO (UFRJ) 395 5
Inep/MEC

 

* Com informações da Agência Brasil

    Notícias Relacionadas



    Ver de novo