USP Leste pode ter curso de engenharia

Diretor da USP Leste diz que novos cursos de engenharia e administração serão coordenados por outras unidades da universidades

iG São Paulo |

Tradicional unidade da Universidade de São Paulo (USP), a Escola Politécnica discute a instalação de uma graduação em Engenharia com foco em aplicações industriais na USP Leste. Segundo o diretor da Poli, José Roberto Cardoso, será montado um curso que já existe no Cidade Universitária, que fica no Butantã, na zona oeste. "Estruturar uma nova graduação demora no mínimo três anos", diz.

Como o estatuto da USP não permite que funcionem duas graduações idênticas no mesmo município, a escola deve transferir um de seus bacharelados para a USP Leste. "Só dependemos do sinal verde da reitoria para decidirmos qual curso vamos levar." Os parques industriais próximos à USP Leste vão influenciar a escolha, afirma Cardoso. É mais provável que seja Engenharia Mecânica, Mecatrônica ou de Produção. Para o professor, criar vagas em universidade pública é uma "dádiva". "Estamos atendendo ao interesse do País em ter engenheiros com formação de qualidade.

Polêmica
Segundo o jornal "O Estado de São Paulo", a pedido do reitor, João Grandino Rodas, a Faculdade de Economia e Administração (FEA) também está montando um curso para ser oferecido na USP Leste, o de Administração Pública. Na unidade, já existe uma graduação em Gestão de Políticas Públicas (GPP). A encomenda causou surpresa entre professores da FEA e irritação na Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH), unidade responsável pelo bacharelado em GPP. O diretor da EACH, Jorge Boueri, disse que a implementação de cursos de outras faculdades no câmpus da USP Leste é assunto pertinente aos diretores das respectivas unidades. "Os novos cursos, caso venham a ser instalados, não estarão sob a coordenação pedagógica e administrativa desta direção." Ele deve se reunir esta semana com Rodas e o diretor da FEA, Reinaldo Guerreiro, para discutir a questão da graduação em GPP.

Para o coordenador do curso de Gestão, Fernando Coelho, a proposta da reitoria junto à FEA é " inviável e descabida" . "Não há porquê instalar um curso de Administração Pública aqui na USP Leste, porque sua estrutura curricular seria muito parecida com a de GPP. Ou seja, é uma conduta vedada pelo estatuto da USP."

Na FEA, correm rumores de que o curso de Administração substituiria o de Gestão. Os alunos de GPP também questionam o pedido da reitoria. Ivie Sousa, do 3.º ano, classificou a medida como um "desrespeito". "O reitor quer descaracterizar nosso curso." Mayara Ferreira, também do 3º ano, defende a grade curricular. "A administração pública é apenas um viés do curso. Também aprendemos ciências sociais e políticas." Procurado desde sexta-feira, o reitor não respondeu aos questionamentos.

* Com informações da Agência Estado.

    Leia tudo sobre: USPUSP-Lestecursosengenhariaadminsitração

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG