Universidades visam cursos de curta duração

Procurando cursos de graduação? Na corrida pela formação superior, candidatos às vagas se deparam com os diversos tipos de cursos, desde os cursos de graduação tradicionais, geralmente de 4 anos, até os cursos de curta duração ¿ seqüenciais e tecnológicos.

Paula Menezes |

Mas quando o assunto é falta de tempo, dinheiro ou mesmo urgência para o término, os cursos de curta duração, de 2 anos, são bastante atrativos aos olhos dos alunos. E é visando essa nova busca que as faculdades estão investindo crescentemente em cursos de formação mais rápida. Mas fica a dúvida: Será essa a melhor escolha?

Para o professor e coordenador de fluxos e processos de Educação Superior do Ministério da Educação (MEC), Rubens Martins, o aluno que decidir fazer um curso seqüencial precisa ter em mente que está fazendo uma opção de formação superior que não dá as mesmas prerrogativas profissionais destinadas aos bacharelados ligados às profissões regulamentadas. Martins afirma isso pensando na escolha e na necessidade pelas quais os alunos buscam determinado curso.

Para ele, quando se trata de profissões como jornalismo, advocacia ou mesmo engenharia, o melhor caminho é realmente fazer os cursos de graduação tradicionais, já que abrangem uma carga mais completa e focada na área. Já os seqüenciais e tecnológicos, tem caráter mais profissionalizante, mais restrito a uma determinada função, sendo melhores aproveitados quando a intenção é seguir alguma área de atuação inovadora ou que possa ocupar espaços de atuação que não conta com formações amplas.

Mas também há vantagens. Cursos seqüenciais têm por objetivo uma formação mais voltada para a prática, atendendo as necessidades dos alunos em se inserir no mercado de trabalho mais rapidamente. Além de possuir características que dispõe ao aluno ressaltar os conteúdos cursados podendo vir a ser aproveitados posteriormente em cursos de graduação, caso ele pretenda prestar um processo seletivo. Este tipo de curso também dá ao aluno a vantagem de poder utilizá-lo como um complemento de sua graduação, se aprimorando em determinada área da profissão.

Cursos seqüenciais ou tecnólogos

É importante lembrar que há uma pequena diferença entre cursos seqüenciais e tecnológicos. Os cursos seqüenciais são de nível superior, mas não têm caráter de graduação, sendo apenas uma formação alternativa ou complementar aos cursos de graduação. Já os cursos de tecnólogos são realmente cursos superiores de graduação que dão direito a pós-graduação, stricto ou latus sensus.

Fica a dica de Martins: O fundamental é ter  clareza quanto ao que o aluno espera daquele tipo de formação, mas também é importante ter certeza de que a instituição está legalmente credenciada junto ao MEC e tem seus cursos autorizados ou reconhecidos.

Leia mais sobre: Graduação

    Leia tudo sobre: graduação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG