Universidades comunitárias poderão participar do Pibid

O Ministério da Educação alterou as regras do Programa Institucional de Bolsa de Iniciação à Docência (PIBID), que incentiva a formação de professores da educação básica em todo o País. Agora, os estudantes de cursos de licenciatura de instituições municipais de ensino superior e de comunitárias confessionais ou filantrópicas poderão concorrer às bolsas do programa.

Priscilla Borges, iG Brasília |

Até então, apenas as universidades federais e as estaduais podiam entrar na disputa pelas bolsas. Na primeira seleção, feita no ano de criação do projeto, em 2007, somente alunos das federais concorreram às 2.326 bolsas oferecidas. Em 2009, quando as estaduais puderam participar, foram distribuídas 8.889 bolsas aos estudantes. Este ano, o Pibid vai oferecer 5 mil novas bolsas. 

Carmen Moreira de Castro Neves, coordenadora-geral de Desenvolvimento de Conteúdo Curricular e de Modelos Experimentais da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), conta que o sucesso do programa provocou a mudança. Ele está mexendo com a formação do professor em todos os níveis. O retorno que temos dos bolsistas é excelente e outras instituições querem participar, diz.

O Pibid tem como objetivos principais contribuir para valorizar a carreira do professor e melhorar a qualidade de formação dos futuros docentes da educação básica. Pela proposta, estudantes de diferentes licenciaturas ¿ matemática, física, química ou português, por exemplo ¿ recebem apoio financeiro durante dois anos. Em troca, têm de realizar atividades práticas em escolas da rede pública de ensino (30 horas semanais). 

Um dos pontos principais do Pibid é que ele diminui a distância entre teoria e prática. Os estudantes provocam mudanças na escola e na universidade, porque além de criarem projetos nos colégios, se tornam mais críticos e exigentes em relação à própria graduação, comenta Carmen. Nas escolas em que os universitários trabalham, há supervisores destinados a tutorá-los. Esses docentes se sentem provocados pelos estudantes e melhorar também, conta a coordenadora da Capes.

Participação por projetos

As instituições que desejam participar do Pibid têm de apresentar projetos institucionais para diferentes áreas do conhecimento. As propostas são primeiro analisadas tecnicamente por funcionários da Capes, para saber se as instituições preenchem requisitos para disputar a seleção, e, depois, são encaminhadas a comissões de especialistas. Elas escolhem os melhores projetos, que serão contemplados.

Cada instituição pode receber até 100 bolsas por edital. Elas têm de ser distribuídas entre licenciaturas distintas. Cada área tem de ter, no mínimo, dez e, no máximo, 20 bolsistas. Os coordenadores desses bolsistas também recebem bolsas do Pibid. Além dos supervisores nas escolas. Até hoje, 724 coordenadores e 1.677 supervisores beneficiaram-se das bolsas. 

As inscrições para a próxima seleção devem começar na quarta-feira, 14 de abril, e se estenderão até 15 de maio. O edital para as bolsas deste ano, que será publicado até quarta-feira, terá mais uma novidade: as universidades poderão apresentar projetos para fortalecer a formação de professores que atuarão na educação infantil. 

A Portaria n° 72, que altera o Pibid, foi publicada no Diário Oficial da União desta segunda-feira.

    Leia tudo sobre: capacitaçãocapesestágiopibidprofessorprofissãouniversidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG