Universidade brasileira apresenta projeto de Instituto Internacional de Segurança Alimentar

BRASÍLIA - Única instituição de ensino da América do Sul convidada a participar do terceiro encontro anual da Clinton Global Initiative University (CGI U), um fórum para engajar estudantes universitários para a cidadania global, a Universidade Federal de Viçosa (UFV), de Minas Gerais, apresentou em Miami, nos Estados Unidos, nesse fim de semana, um projeto para a criação do Instituto Internacional de Segurança Alimentar e Combate à Pobreza no Brasil.

Agência Brasil |

O projeto foi um dos quatro, entre mais de mil de várias universidades de todo o mundo, destacados pelo instituto criado pelo ex-presidente americano Bill Clinton, que convidou apenas a UFV e outras cerca de 80 instituições de ensino para participar do evento. O convite surgiu depois da participação da UFV na Cúpula Mundial Sobre Segurança Alimentar, realizada em novembro do ano passado em Roma, sede da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO).

Segundo o  reitor da UFV, Luiz Cláudio Costa, o objetivo da criação do instituto internacional na cidade de Viçosa, na Zona da Mata Mineira, é envolver cientistas e estudantes da universidade na análise aprofundada da fome e no apoio a países da África e América do Sul, desde o desenvolvimento de variedades vegetais mais adaptadas a cada região até a educação alimentar nas escolas.

A fome é o problema mais sério que o mundo tem. No instituto, queremos formar estudantes cidadãos, que terão espaço para propor soluções para esse problema. Também atuaremos no treinamento de profissionais de países da África e da América do Sul. O foco tem que ser na cooperação, na solidariedade, e não apenas econômico. É importante formar nossos estudantes com essa visão, afirmou.

Segundo ele, os laboratórios para desenvolvimento de tecnologias de ponta são os da própria UFV, mas é necessária a construção de uma estrutura para abrigar os profissionais que virão de outros países receber treinamento, além de biblioteca e salas de reuniões para debates entre os grupos que ali atuarão.

Para isso, o reitor da UFV disse que serão necessários cerca de R$ 6 milhões, dos quais a universidade já dispõe de R$ 1,5 milhão. Como o reconhecimento internacional, no entanto, ele acredita que as possibilidades de captação de recursos aumentarão. 

Recebemos o certificado de reconhecimento da  Global Clinton Initiative, passando pelo crivo internacional, o que deu ima nova visibilidade para o projeto, afirmou Costa. Segundo ele, a proposta de criação do instituto já tinha sido apresentada ao governo brasileiro e, a partir de agora, serão feitas prospecções para viabilizar o investimento estrangeiro.

    Leia tudo sobre: premiadasprêmiosuniversidade

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG