Unirio: Alunos suspeitos de fraude são convocados a prestar depoimento

Sindicância apura suposta venda de vagas do curso de Medicina

iG Rio de Janeiro |

Os cinco alunos do curso de Medicina da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio) suspeitos de fraude na matrícula foram convocados pela reitoria da instituição de ensino a prestar depoimento nesta terça-feira (10), às 14h. Uma sindicância instaurada pela Unirio apura um suposto esquema de venda de vagas na Escola de Medicina e Cirurgia (EMC).

Entenda: Sindicância apura suposta venda de vagas do curso de Medicina na Unirio

Marcelo Piu / Agência O Globo
Fachada da Escola de Medicina e Cirurgia da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro
No procedimento irregular, matrículas canceladas em 2011 teriam sido reativadas e utilizadas por estudantes que não foram convocados pelo Sistema Único de Seleção Unificada (Sisu), única forma de acesso à Unirio.

De acordo com a universidade, a suposta fraude foi constatada através de um relatório de evasão na EMC, feito no dia 15 de março. O documento apontou que o número de matrículas canceladas no ano passado reduziu sem explicações de 15 para 10.

Dos cinco alunos investigados, quatro mulheres e um homem, quatro nem sequer fizeram o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) no ano passado. A única estudante que prestou o exame ficou classifica na 2.217ª posição. Os alunos sob suspeita foram suspensos das aulas a partir de segunda-feira (9).

Também ontem (9), prestaram depoimento dois servidores da Unirio: a diretora da EMC, Maria Lucia Pires, e a decana do Centro de Ciências Biológicas e da Saúde, Lucia Marques Vianna. A sindicância foi instaurada no último dia 27 de março e o prazo para realização dos trabalhos é de 30 dias, prorrogáveis por mais trinta.

O reitor Luiz Pedro San Gil Jutuca informou que pretende verificar se o sistema de informática da instituição é vulnerável e se a fraude foi cometida em outros cursos."Nunca vi nada parecido com isso. Estamos todos chocados. É certo que algo irregular aconteceu. Não quero tecer nenhum juízo de valor. Espero que não tenha sido um colega, um servidor público como eu, um servidor dessa instituição", disse

A Polícia Federal informou através de nota que recebeu um ofício da Unirio na última quinta-feira (5) "comunicando possíveis irregularidades em matrículas de alunos" e que "as informações encaminhadas serão objeto de análise para fins de definição sobre as medidas a serem aplicadas ao caso". Já o Ministério da Educação declarou que está "à disposição do reitor da Unirio para auxiliar e supervisionar as investigações relativas à grave denúncia de presença de estudantes irregulares matriculados no curso de Medicina da instituição".

*com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: uniriomedicinasisufraude

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG