Unicamp vai participar do Sinaes/Enade

Pela primeira vez, estadual paulista participará do exame criado pelo Ministério da Educação para avaliar cursos e universidades

iG São Paulo |

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) decidiu participar do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), que inclui o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), a partir deste ano. O exame criado pelo Ministério da Educação para avaliar a qualidade de cursos e instituições de ensino superior não contava com a participação da Unicamp nem da Universidade de São Paulo (USP), duas das principais universidades do País.

A decisão foi tomada em reunião da Comissão de Ensino, Pesquisa e Extensão (Cepe) nesta terça-feira com base em um relatório apresentado por um grupo de trabalho formado por dez docentes. O grupo realizou reuniões ao longo do segundo semestre de 2009 e início de 2010, estudando textos sobre avaliações de cursos de graduação e textos a respeito do Sinaes/Enade, além de receber representantes do MEC que participam da elaboração e da concepção do exame.

Unicamp e USP são as únicas instituições que não participam do Sinaes, que foi regulamentado em abril de 2004 em substituição ao Exame Nacional de Cursos (Provão). Os dirigentes se baseavam em críticas à metodologia utilizada ainda no antigo Provão. "Ainda temos críticas e sugestões, mas o exame foi bastante aprimorado”, afirmou o professor Marcelo Knobel, pró-reitor de Graduação.

Segundo Knobel, a Unicamp vai participar de forma "ativa e construtiva" no processo com o objetivo de aprimorar o ensino superior no país. Para ele, a avaliação é fundamental para isso. A Unicamp vai criar dois grupos internos de trabalho: um técnico, que vai cuidar da inscrição dos estudantes, do preenchimento de formulários e de outros aspectos ligados à infraestrutura; e um outro acadêmico, que vai acompanhar as provas, analisar o desempenho da instituição e encaminhar sugestões ao MEC.

“Participar no Sinaes/Enade reflete a disposição da comunidade em reconhecer a importância de processos de avaliação para o encaminhamento de reflexões que levem ao aprimoramento constante das práticas internas de ensino, pesquisa e extensão”, disse o pró-reitor. Ele destacou que o Enade passou a ser para todos os alunos, o que é considerado positivo pela Unicamp.

Knobel reconheceu que os alunos podem boicotas o exame, "mas é um problema que vamos enfrentar". "Mais importante é mostrar ao aluno a importância de ser avaliado com coerência e seriedade, assim como verificar a qualidade do seu curso em comparação com o restante do país. Os benefícios serão todos dele”, ponderou.

    Leia tudo sobre: educaçãounicampenadesinaes

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG