Unesp instaura processo para investigar "rodeio de gordas"

Em encontro universitário, estudantes competiam quem segurava alunas obesas por mais tempo. ONG articula protesto amanhã

iG São Paulo |

A Universidade Estadual Paulista (Unesp) irá instaurar nesta semana um processo disciplinar para apurar as responsabilidades de agressões cometidas contra mulheres durante os jogos universitários InterUnesp 2010, realizados entre os dias 9 e 12 de outubro, em Araraquara, interior de São Paulo. No dia 28, às 14h, haverá uma reunião fechada da direção do campus Assis, onde as denúncias começaram. Estudantes prometem fazer protesto contra o ato violento no mesmo local e horário.

Reportagem do jornal Folha de S.Paulo , publicada nesta quarta-feira, conta que durante a festa universitária, um grupo de alunos promoveu um “rodeio de gordas” no qual homens deveriam "laçar" mulheres acima do peso com os braços e dominá-las. O relato das agressões também está em comunidades do site de relacionamentos Orkut.

Mayara Curcio, estudante de psicologia da Unesp, presenciou as agressões e publicou um post de repúdio ao “rodeio” na comunidade do InterUnesp no Orkut. Segundo a estudante, os participantes, autodenominados “peões”, abordavam garotas obesas, as agarravam e até mesmo montavam em cima delas, enquanto amigos observavam para um posterior julgamento. “Acumulava maior número de pontos aquele que conseguisse segurar a garota (enquanto esta se debatia) por mais tempo. O vencedor, ao final das festas ganharia um quite (sic) com bata e caneca oficial do ‘rodeio das gordas’”, relata a estudante.

Na comunidade há postagens de estudantes que repudiam a prática e outras que a amenizam, afirmando que tudo não passou de uma brincadeira. O caso repercutiu entre os estudantes da Unesp, que fizeram manifestações durante essa semana. Está marcado para a próxima quinta-feira (28) um ato contra o "rodeio de gordas", às 13h30, em frente ao campus de Assis.

O InterUnesp, evento esportivo e cultural, reuniu cerca de 12 mil estudantes de 20 campi da Unesp. Os alunos participaram de competições esportivas, festas e shows. A Unesp informa em nota oficial que “repudia práticas de desrespeito entre membros de sua comunidade”. A universidade, no entanto, afirma que não se pronuncia sobre procedimentos administrativos desse tipo durante o andamento de seus trabalhos.

    Leia tudo sobre: Unespagressãoestudantesviolência contra a mulher

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG