UnB vai criar força-tarefa para emitir diplomas

Servidores em greve estão liberando documentos apenas em casos urgentes, mas reitoria decidiu intervir

Priscilla Borges, iG Brasília |

A reitoria da Universidade de Brasília (UnB) garante que, apesar da greve de servidores, os estudantes que estão próximos de concluir a graduação ou cursos de pós vão receber os diplomas. Por causa da paralisação que já se estende por mais de cinco meses, havia a possibilidade de os alunos ficarem sem o documento por um bom tempo. A emissão estava sendo feita apenas em casos urgentes.

Wellington Lourenço de Almeida, chefe de gabinete da reitoria, conta que a decisão de intervir nesse processo foi tomada na tarde desta quarta-feira. A preocupação era com os cerca de 2 mil universitários – da graduação e da pós – que devem concluir os cursos este mês. Em outubro, já está marcada a primeira colação de grau da graduação, cerimônia em que os diplomas são entregues.

O Comando de Greve do Sindicato dos Trabalhadores da Fundação Universidade de Brasília (Sintfub) havia decidido só emitir os diplomas em três situações: estudantes de convênios diplomáticos que tenham que voltar ao país de origem, com prazos para bolsas de pesquisa ou prestes a tomar posse em concurso público. Para o sindicato, a interrupção do serviço é importante para o movimento de greve “Não há prejuízo para quem está precisando do diploma com urgência. Nossa expectativa é acabar com a greve o quanto antes. Estamos aguardando uma liminar”, diz Cosmo Balbino, coordenador do Sintfub.

Os servidores da UnB brigam na Justiça pelo pagamento da Unidade de Referência de Preços (URP), um mecanismo criado para corrigir salários durante os períodos de inflação e que foi incorporado aos salários de técnicos e de professores da universidade. A pedido da Advocacia Geral da União, esta parcela – que representa 26,05% dos salários – foi cortada. O Supremo Tribunal Federal julgará uma ação sobre o tema. Os técnicos aguardam o julgamento para voltar a trabalhar, mas têm uma assembléia sobre o tema marcada para a próxima terça-feira.

Wellington diz que parte dos funcionários responsáveis para receber as solicitações de emissão de diplomas está trabalhando. Eles ganharão reforços de outras áreas e passarão a atender o público ainda esta semana. “Não tivemos nenhum conflito por causa da suspensão dos serviços até agora. Mas, com a chegada do fim do semestre, estamos prevendo uma situação mais difícil por causa da quantidade de formandos”, afirma.

    Leia tudo sobre: educaçãogreveunbdiplomas

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG