Último dia da Fuvest segue tendência e tem 9,09% de abstenção

Índice é o maior dos últimos onze anos; Fuvest afirma que número costumava ser de cerca de 5%

iG São Paulo |

Sem quebrar a tendência dos dias anteriores, a última prova da Fuvest terminou nesta terça-feira, 11, com 9,09% de abstenção. Em números absolutos, isso significa dizer que 3.467 dos 38.151 candidatos inscritos faltaram ao exame. A fundação, que organiza o vestibular, já afirmou que irá investigar as razões da alta taxa de ausência, a maior dos últimos onze anos , antes de se pronunciar sobre índice de faltantes. 

No domingo, primeiro dia da segunda fase do vestibular, o índice de faltantes já havia sido alto (7,88%). O número aumentou na segunda-feira, 8,33%, até chegar aos 9,09% desta terça. Procurada pela reportagem do iG , a Fuvest confirmou o recorde negativo, embora não tenha disponibilizado os dados de onze anos atrás. "Esse índice é realmente o maior dos últimos onze anos. Normalmente, ele fica na casa dos 5%", disse o professor José Coelho Sobrinho, assessor de imprensa da instituição. 

Para Alberto Francisco do Nascimento, coordenador do cursinho Anglo, é difícil saber as razões para tantas ausências. “Acredito que deve ter havido coincidência com outros vestibulares no mesmo dia. Sei que a prova da UFRGS, por exemplo, também começou no dia 9, e muitos estudantes paulistas prestam esse exame. Mas, para saber com certeza, o ideal seria localizar todos os faltantes e realizar uma pesquisa.” 

Já a coordenadora do cursinho e colégio Objetivo, Vera Lúcia da Costa Antunes, acredita em três fatores principais: o alto número de treineiros, que também são contabilizados; os candidatos que já foram aprovados em outras universidades; e o novo formato do exame da Fuvest, que deixou o nível da prova ainda mais elevado com as questões interdisciplinares.

"Hoje a USP não é mais o sonho dourado de antes, ou seja, há alunos que são aprovados em outras instituições e não necessariamente preferem a USP", diz Vera. A coordenadora também acha que boa parte dos faltantes está mal informada e se assusta com o nível da prova. "O aluno que presta medicina, por exemplo, às vezes erra uma ou duas questões de biologia, mas é mal informado e pensa que foi tudo por água abaixo. Aí ele acaba desistindo de vir nos outros dias."

Em números percentuais, as cidades que mais registraram faltas na prova desta terça-feira foram Bauru (12,03%), Presidente Prudente (10,73%) e Campinas (10,35%). Em números absolutos, a região da Grande São Paulo puxa a fila com 1.945 ausências, seguida de Ribeirão Preto (238) e Campinas (224).

    Leia tudo sobre: AbstençãoFuvest 2011Enem

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG