Sul e Sudeste oferecem melhor ensino até 4ª série

Cidades das regiões conseguiram melhores médias no Índice de Educação Básica (Ideb), divulgado pelo MEC

Carolina Rocha, iG São Paulo |

Os números do Índice de Educação Básica (Ideb) mostram que o Brasil continua apresentando discrepância na qualidade do ensino público entre as regiões. De acordo com o ranking dos município, divulgado pelo Ministério da Educação (MEC), as regiões Sudeste e Sul oferecem melhor ensino até a 4ª série do que a média nacional, enquanto as regiões Norte e Nordeste registram as piores notas. Veja as notas .

Entre as 2.544 cidades que atingiram nota superior à média nacional ( 4,6 entre os alunos até a 4ª série), apenas 92 são das regiões Norte e Nordeste. Os Estados do Sudeste superaram a média em 1.405 municípios e do Sul, 812.

São Paulo foi o Estado que teve melhor resultado: 95% das 645 cidades paulistas tiveram notas maiores que 4.6, com destaque para Cajuru, que registrou o maior índice de todo o País, com nota 8,6, e tem as três melhores escolas públicas no ensino fundamental I.

Nos terceiro e quarto lugares do ranking nacional ficaram os municípios de Neves Paulista (nota 8,1) e Fernão (nota 8), ambos do interior de São Paulo.

Minas Gerais tem o maior número de cidades com notas acima da média. De suas 853 cidades, 708 tiveram índice superior a 4,6 (83%). Claraval, que fica a 451 km da capital Belo Horizonte, teve nota 8,2 e ficou com a segunda melhor colocação entre todas do País.

Na região Sul, a situação é equilibrada. No Rio Grande do Sul, apenas 118 das 496 cidades não conseguiram nota superior à média nacional. A primeira cidade da região a aparecer no ranking é Tupanci do Sul, que tem seu índice registrado pela primeira vez desde o início das avaliações do MEC - o município estreou no ranking com nota 6,8. O Paraná também teve bom resultado, com 70 de suas 399 cidades com nota abaixo de 4,6.

A primeira cidade da região Nordeste a aparecer no índice é Sobral, no Ceará, com a 62ª colocação, com nota 6,6 - um crescimento de 1,7 ponto em relação à nota do Ideb de 2007.

O Rio de Janeiro teve o pior desempenho da região Sudeste, com apenas 29 de suas 92 cidades (32%) com notas acima da média nacional. A cidade da região que obteve a pior colocação também é fluminense: Campos dos Goytacazes, que atingiu média 3,1 (em 2007 a média foi 3,8).

No Centro-Oeste, Mato Grosso do Sul teve o pior rendimento. Das 78 cidades do Estado, 62 registraram notas inferiores a 4,6. Goiás, Estado com maior número de cidades da região, obteve melhor resultado. De seus 246 municípios, 84 não atingiram a média nacional. O Distrito Federal aparece no 1.273º lugar no ranking entre as cidades, com nota 5,4 (evoluindo 0,6 em relação ao índice de 2007).

Últimas colocadas

No último lugar entre os 5.411 municípios avaliados está Apuarema, no interior da Bahia, a 165 km da capital. O município, emancipado em 1989, atingiu nota 0,5, o que representa uma grande queda em relação aos 2,7 pontos registrados no Ideb de 2007. A Bahia é o Estado com maior número de municípios abaixo da média de 4,6. De suas 417 cidades, 396 não chegaram a esta nota (95%) e apenas 15 ficaram acima.

Chaves, no Pará, tem o segundo pior índice. Os alunos até a 4ª série tiraram nota 1,4 em 2009. A cidade vem caindo no índice desde 2005, quando registrou 2,7. No Ideb de 2007, a nota dos alunos foi de 2,0. O Estado teve apenas duas de suas 143 cidades com média acima de 4,6.

    Leia tudo sobre: Ideb

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG