SP usará escola particular para ampliar ensino técnico

Estado quer aumentar o número de matrículas no ensino médio técnico de 6 mil para 20 mil ao ano

AE |

selo

A Secretaria Estadual de Educação de São Paulo quer ampliar o ensino médio integrado à educação profissional. Para isso, a pasta lançará um programa que objetiva aumentar o número de matrículas para 20 mil neste ano, estabelecendo parcerias com escolas particulares.

Atualmente, a Secretaria de Educação já tem contrato com sete instituições de ensino profissionalizante, atendendo cerca de 6 mil alunos. Para expandir a oferta, a proposta se divide em duas modalidades: ensino médio integrado ao profissionalizante e ensino médio simultâneo a curso profissional técnico. O projeto abrange apenas os municípios com mais de 50 mil habitantes.

A pasta pretende abrir, até o fim do mês, um chamamento público para instituições de ensino interessadas em se credenciar ao projeto, voltado para os alunos matriculados no 2º ano do ensino médio das escolas da rede. Cada turma terá, no máximo, 40 alunos e, no caso de haver mais demanda do que vagas, haverá um processo seletivo.

Se as instituições interessadas forem aceitas – elas devem atender a uma série de critérios –, receberão uma verba que ainda está sob análise. De acordo com a secretaria, os projetos estão em fase adiantada de elaboração. "É importante dizer que permanece a formação básica desse jovem", disse o secretário Herman Voorwald. "Vamos formatar o projeto de acordo com o interesse das escolas e dos alunos nesse programa. Tudo depende do retorno que teremos desse credenciamento".

Sobre aumentar o tempo de conclusão do ensino médio, o secretário admite que a ideia está em estudo. "Isso provavelmente ocorrerá, mas depende ainda da formatação da proposta. Ainda não está fechado", disse. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG