SP terá regime integral para professores do ensino médio em 2012

Docentes de 19 escolas que terão carga horária ampliada não poderão acumular aulas em outras instituições

iG São Paulo |

O governo do Estado de São Paulo vai criar um regime de dedicação integral para professores e diretores da rede de educação básica. Os docentes não poderão acumular aulas em outras escolas e, em contrapartida, receberão gratificação. O novo modelo será iniciado a partir de 2012 em 19 escolas espalhadas pelo Estado – onde haverá ampliação de carga horária, de seis para oito horas diárias, além da criação de disciplinas eletivas.

Leia série especial do iG: Ensino médio: a pior etapa da educação do Brasil

As iniciativas fazem parte de um programa de ações voltadas à melhoria da educação do ensino médio no Estado. Em novembro, ocorrerá o anúncio de ações voltadas para o ensino fundamental - que passam por estudos e análises por equipes da secretaria. O foco será na recuperação do aprendizado. 

No novo modelo de escola para alunos dos últimos anos da educação básica, além do aumento da carga horária, o plano é que haja integração entre as disciplinas do currículo.

A mudança no regime do seus professores também é novidade. Não será uma carreira diferente, mas um regime diferenciado. "Na mudança no regime de trabalho do professor, ele vai conhecer os alunos, identificar-se com eles e ser uma referência na escola. A ideia é incentivar uma carreira de 40 horas na mesma escola, porque muitos têm hoje jornadas de apenas 16 horas", explica o diretor executivo da Fundação Lemann, Denis Mizne.

Escolas vulneráveis

O programa também prevê intervenção e monitoramento em 1.206 unidades de ensino consideradas de maior vulnerabilidade, tanto no aspecto socioeconômico, como nos de infraestrutura e de aprendizagem (medido pelo desempenho no Saresp 2010). O objetivo é reduzir a desigualdade de aprendizado no Estado com formação continuada de professores, investimentos em infraestrutura, implantação do programa de professores-mediadores, salas de leituras e projetos especiais de recuperação do aprendizado dos alunos.

Participação da sociedade

O governo quer ouvir pais de alunos, professores, diretores e profissionais da rede de ensino. Para isso convidou que todos visitem no dia 5 de novembro uma das 2.386 escolas estaduais integrantes do programa Escola da Família para discutirem formas de participação no programa e apresentarem suas propostas e sugestões. Após receber as contribuições, o governo anunciará até o fim de novembro o detalhamento de todas as ações do programa.

No mês que vem, a Secretaria também pretende divulgar ações específicas voltadas para a melhoria do ensino fundamental, com foco no desempenho dos alunos.

Com informações da Agência Estado

    Leia tudo sobre: ensino médiohorário integral

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG