Sindicato: invasão da USP será por tempo indeterminado

Universidade "lamenta" invasão em comunicado divulgado na tarde desta terça-feira

iG São Paulo |

O Sindicato dos Trabalhadores da Universidade de São Paulo (Sintusp) divulgou nota informando que a ocupação do prédio da reitoria da instituição será por tempo indeterminado, "até que não tenhamos mais as privações impostas pelo reitor da USP, a mando do governador do Estado de São Paulo, em exercício, Alberto Goldman e de seu antecessor, José Serra".

O edifício foi invadido e ocupado nesta manhã por servidores técnicos e administrativos, que mantêm as atividades paralisadas há 35 dias. Eles pressionam o reitor João Grandino Rodas pela reabertura das negociações e pelo pagamento dos dias descontados.

Segundo o Sintusp, cerca de mil funcionários tiveram seu ponto cortado por ordem da reitoria. Referindo-se a Rodas, a nota diz que o ato desta manhã foi "em defesa dos trabalhadores, que não podem ser privados do direito de alimentar seus filhos e honrar seus compromissos financeiros por conta da irresponsabilidade e insensatez de um senhor que diz dialogar com a Comunidade Uspiana, mas que na prática não permite o exercício democrático de manifestação e greve".

A USP divulgou uma nota na tarde desta terça-feira em que lamenta a invasão. "A Universidade de São Paulo (USP) lamenta a invasão violenta ocorrida hoje (08/06), no prédio da Administração Central. Cerca de 80 manifestantes, entre servidores, alunos e pessoas estranhas à comunidade acadêmica, portando ferramentas pesadas utilizadas em demolição, como marretas, machados e picaretas, vandalizaram as instalações do edifício e consumaram a invasão com a expulsão truculenta da Guarda Universitária, que atua normalmente como responsável pelo patrimônio. Dessa maneira, as instalações dos Órgãos Centrais da USP encontram-se sob o domínio completo dos manifestantes."

*Com Agência Estado

    Leia tudo sobre: uspreitoriaprotestoinvasão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG