Servidores da educação decidem manter greve

Funcionários do Inep e do FNDE mantêm paralisação até a próxima segunda-feira

Agência Brasil |

Brasília - Os servidores do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas (Inep) e do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ligados ao Ministério da Educação (MEC), resolveram manter a paralisação, iniciada no dia 26 de abril, até a próxima segunda-feira (10), quando haverá uma nova reunião com representantes do Ministério do Planejamento. Os funcionários do instituto reuniram-se hoje (7) para discutir a pauta da reunião e o futuro da greve.

O Ministério do Planejamento publicou ontem (6) em seu site uma nota de esclarecimento com explicações sobre o processo de negociação entre a Secretaria de Recursos Humanos e representantes dos servidores da educação. O ministério enumera as reuniões realizadas e as propostas apresentadas à categoria e diz ter “recebido com surpresa” a notícia da greve. De acordo com o governo, o período entre a última reunião e a deflagração da greve foi curto e não houve tempo hábil para que os servidores analisassem e deliberassem sobre a proposta.

Os grevistas pedem que o plano de carreira seja revisto e os salários reajustados. Servidores argumentam que há duas carreiras de nível superior com as mesmas funções, mas com salários diferentes. Outra reivindicação é a melhoria do salário inicial para funcionários de nível médio.

    Leia tudo sobre: Greve de funcionáriosInepFNDE

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG