Após cancelar de última hora participação em evento na capital paulista, onde cerca de 50 manifestantes o esperavam, o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), negou que tenha mudado a agenda para evitar o protesto. Dizer isso é trololó, afirmou na tarde desta quinta-feira, após evento no Palácio dos Bandeirantes.

Integrantes do Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de São Paulo (Apeoesp) tumultuaram a inauguração do Complexo Viário do Jaraguá, na zona norte da cidade. Apitaram e gritaram durante o evento e vaiaram o nome de Serra.

AE
Professores em greve fazem protesto

Professores em greve fazem protesto em São Paulo

Os professores estão em greve há quase duas semanas. A presença do governador, que foi confirmada pela assessoria de imprensa do Palácio de manhã, foi cancelada 15 minutos após o horário marcado para o início da cerimônia, com a justificativa de que ocorrera um "erro na divulgação da agenda".

Possível candidato tucano à Presidência, Serra disse ter decidido quarta à noite sobrevoar esta quinta as obras do Rodoanel e da Nova Marginal, o que acabou atrasando outros compromissos. "Fui fazer a supervisão e não deu tempo (de ir ao Jaraguá)", justificou-se. "Eu decidi ontem à noite fazer esse voo. Só isso. Daí estava com sono, escrevi no twitter e dormi."

Serra criticou os protestos dos professores. "Esse pessoal não tem movimento de greve. Só tem marketing para a imprensa noticiar. Esse (protesto) é mais um deles", disse. "Eles querem prejudicar os alunos, mas nem isso estão conseguindo." O tucano esquivou-se de responder se via conotação política na greve: "Vocês são suficientemente inteligentes e observadores para tirarem suas conclusões."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.