Faculdade cancela novamente atividades acadêmicas pela manhã por falta de limpeza. Funcionários terceirizados estão em greve

As aulas na Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da Universidade de São Paulo (USP) foram suspensas na manhã desta terça-feira por conta da paralisação dos funcionários da limpeza , iniciada na última sexta-feira. De acordo com a administração, nos períodos vespertino e noturno, haverá atividades normalmente.

Lixo acumulado em entrada de unidade após quatro dias de greve dos funcionários de limpeza
AE
Lixo acumulado em entrada de unidade após quatro dias de greve dos funcionários de limpeza

Desde segunda, os estudantes ficaram sem aula por falta de higiene. A diretoria emitiu um comunicado afirmando que devido a "precaríssimas condições" seria impossível manter as aulas. Cerca de 300 funcionários terceirizados da limpeza estão paralisados.

A direção da unidade enviou a seguinte nota aos estudantes, professores e funcionários: "Tendo em vista as precaríssimas condições de limpeza, que comprometem a garantia da qualidade de higiene, as aulas estão suspensas no dia de hoje, 11 de abril, nos períodos da tarde e da noite."

AE
Protesto na sexta-feira em frente a reitoria da Universidade de São Paulo
Uma outra empresa foi contratada em regime emergencial.

Os funcionários em greve alegam não ter recebido o salário do mês de março. Segundo a reitoria, não foi feito o repasse da verba pois a empresa União, contratada para prestar o serviço, está inadimplente com o poder público, e a USP não pode remunerar empresas nessa condição.

A Coordenadoria de Administração Geral (Codage) da USP se reuniu com representantes dos empregados da União. Segundo comunicado "foi esclarecido que, diante do contexto atual, a Universidade somente poderia creditar em conta judicial o valor retido pela prestação de serviço, em virtude da inscrição da empresa no Cadin – Cadastro de Inadimplência do Estado".

A reitoria informou que o crédito foi feito na mesma tarde perante a 8ª Vara da Fazenda Pública. Os funcionários continuarão em greve, já que não receberam os valores. Ontem, a categoria fez um protesto em frente à reitoria da universidade.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.