Saiba quais são as profissões com melhor mercado de trabalho no momento

Na hora de escolher o curso a seguir, é muito importante ter informações suficientes sobre a situação das profissões no mercado de trabalho. Conhecer as perspectivas de emprego e os setores que precisam de profissionais de uma determinada formação não pode ficar para depois do diploma!

Mônica Magalhães |

Todos os especialistas consultados concordam que a engenharia, a tecnologia da informação e os demais campos técnicos vão ser uma escolha segura ainda por algum tempo.

Atualmente, estes profissionais são muito disputados pelas empresas, que têm dificuldade em retê-los.

João Baptista Brandão, profissão de administração geral e de RH na Fundação Getúlio Vargas, acha que este excesso de demanda deve diminuir nos próximos anos, mas isso não vai ser ruim para quem estiver entrando no mercado: hoje, com a rotatividade muito alta, não há incentivo para investir em treinamento. Daqui a dois ou três anos o mercado deve se estabilizar e os recém-formados devem ganhar mais oportunidades de qualificação, como programas de trainee ou treinamentos longos.

Cláudia Kober, doutora em Educação e professora da Anhembi-Morumbi, indica a área de tecnologia de informação, porque é uma área básica para qualquer empresa, e a engenharia civil. João Baptista destaca as áreas da engenharia mais voltadas para negócios, processos e inovação.

Mário Fagundes, consultor do site de recursos humanos Catho, chama a atenção também para o setor de saúde. Em suas pesquisas, ele concluiu que há um grande déficit de dentistas no país: existem apenas 0.77 profissionais para cada vaga de trabalho. O segundo maior déficit é justamente o do setor médico-hospitalar, com apenas 0.87 candidatos por vaga. Mário avisa, no entanto, que nos grandes centros esses mercados estão saturados, as oportunidades estão longe das grandes cidades, especialmente nas regiões norte e nordeste. Lá, há muitas vagas e os salários são bem mais atraentes, embora a disponibilidade de equipamentos e infra-estrutura possa não ser tão satisfatória.

Entre as áreas mais saturadas, os especialistas apontam áreas de humanas, como direito, administração e comunicação. Para Cláudia, os profissionais da administração têm mais facilidade para serem absorvidos pelo mercado porque têm um campo vasto de atuação. O jornalismo e a publicidade apareceram como as carreiras mais saturadas nas pesquisas de Mário. Apesar de a área de comunicação estar se expandindo, os jornalistas e publicitários enfrentam concorrência de profissionais de outras áreas, desde economistas e administradores até sociólogos, avisa ele.

Mas quem não tem o menor jeito para as exatas ou biológicas não pode contrariar sua natureza: é melhor ser um excelente jornalista do que um péssimo médico, brinca Mário Fagundes.

João Baptista Brandão, da área de administração geral e de RH na Fundação Getúlio Vargas, aconselha os vestibulandos de todas as áreas a prestarem atenção nos setores da economia que estão crescendo. Mário concorda: um setor da economia que esteja em expansão vai precisar contratar todo tipo de profissional para todo tipo de cargo.

A dica, então, é direcionar seus estudos para áreas promissoras. Os especialistas indicam o setor sucroalcooleiro, que está sentindo falta de mão-de-obra especializada, o energético, no qual há investimentos programados até 2015, o aeronáutico e o naval. Para Cláudia, as áreas técnicas ou de pesquisa ligadas e esse setor tendem a se valorizar cada vez mais, pois faltam profissionais.

Cláudia vê também uma grande falta de profissionais da educação: O setor está recebendo cada vez mais atenção do governo, a sociedade está cobrando professores mais bem preparados, então as áreas de licenciatura e ciências da educação tendem a crescer. Há uma grande carência na formação de docentes, especialmente para o ensino de ciências.

Para Mário, a falta de professores de matemática, física e química está relacionada com o crescimento da indústria, que absorve os profissionais. Portanto, embora as carreiras de matemática, física e química estejam equilibradas de modo geral, profissionais dessas áreas dedicados ao ensino estão em falta.

    Leia tudo sobre: profissão

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG