Rock in Rio inaugura sala de música em escola municipal

Parceria terá outras nove salas espalhadas pela rede pública de ensino no Rio e promoverá a formação de 30 professores

Vicente Seda, iG Rio de Janeiro |

A organização do Rock in Rio inaugurou nesta quinta-feira, na Escola Municipal Pereira Passos, no Rio Comprido, zona norte do Rio de Janeiro, uma das dez salas de música que serão criadas pela cidade para complementar a formação de alunos. Músicos do Monobloco realizaram um rápido workshop após a abertura da sala.

A produtora do festival, Roberta Medina, explicou no envento que o objetivo principal da iniciativa não é descobrir talentos, mas fazer com que os alunos descubram a arte através da música e complementem sua formação. Ela afirmou que, nas dez escolas beneficiadas pelo projeto, 30 professores de música receberão uma formação especial para aprimorar o ensino nessas instituições.

João Paulo Engelbrecht/Prefeitura Rio
Sala de música teve workshop com Monobloco na inauguração. Presidente da Riotur e secretária de educação tocaram instrumentos, enquanto Roberta Medina só aplaudiu
“É a primeira das dez salas que estamos inaugurando, para que os alunos possam aprender música em um ambiente apropriado, com responsabilidade. Com sorte, acharemos novos talentos, mas o objetivo principal é a educação. Quero agradecer à diretoria da escola por permitir essa bagunça que estamos fazendo e anunciar que também estaremos formando 30 professores em um método diferenciado, que estarão junto conosco para que tenhamos um acompanhamento da evolução do projeto a longo prazo”, explicou Medina.

O professor Francisco, como foi anunciado, representou os responsáveis por ensinar os alunos os fundamentos da música através dos instrumentos de percussão. “A parceria é fundamental para propiciar mudanças para uma parte da população que é pouco assistida. Se não se transformar em músico, o aluno se transformará em cidadão. Somos capazes de mudar o mundo, cada um faz a sua diferença”, disse.

João Paulo Engelbrecht/Prefeitura Rio
Secretária de educação, Claudia Costin, discursa observada por Roberta Medina, Antônio Pedro e o professor Francisco
A secretária de educação, Claudia Costin, lembrou que o acesso à arte não traz apenas a formação de artistas, mas de apreciadores. “Isso faz uma enorme diferença no futuro das nossas crianças. Não existe futuro sem acesso à arte. Queremos atores, mas queremos gente que goste de teatro. Queremos músicos, mas também pessoas que apreciem boa música. Queremos escritores, mas também amantes de uma boa leitura. Então, que essas salas possam se espalhar por toda a rede pública e que, daqui alguns anos, possamos ouvir de um músico: ‘Foi lá na Pereira Passos que aprendi a tocar’”, afirmou.

O presidente da Riotur, Antônio Pedro Figueira de Mello, lembrou que o Rock in Rio possibilitou o adiantamento do “legado olímpico”. “O Parque dos Atletas já é um legado da Olimpíada de 2016 para a população. A gente está fazendo a entrega antecipada desse legado. Mas o mais importante aqui é o legado humano. Muito mais do que qualquer tipo de obra, isso aqui transforma a vida das pessoas”, concluiu.

O ator Raoni Carneiro lembrou ainda da inclusão da música como conteúdo obrigatório nas escolas . "A minha cultura musical começou na escola e hoje é obrigatória. Isso vai fazer com que muitos descubram o gosto pela arte, não apenas pela música, que é uma linguagem universal e propicia isso".

    Leia tudo sobre: Rock in Riosala de músicaRoberta Medinaescola

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG