Rio dará R$ 3 mil a estudantes de ensino médio com bom desempenho

Prêmio é destinado a famílias de extrema pobreza em complementação ao Bolsa Família

iG São Paulo |

Jovens de famílias em condição de extrema pobreza do Rio de Janeiro, que terminarem o ensino médio com boas notas poderão receber um prêmio de R$ 3 mil ao final dos três anos de estudo. A iniciativa lançada no sábado no município de Belford Roxo, baixada fluminense e faz parte do Programa Renda Melhor, do governo do Rio de Janeiro, em parceria com o Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome (MDS).

Além de premiar os estudantes, o programa pretende complementar de R$ 30 a R$ 300 a renda de famílias beneficiárias do Programa Bolsa Família, do governo federal.

O valor será depositado em uma caderneta de poupança do jovem, que receberá R$ 700 no primeiro ano, R$ 900 no segundo ano e R$ 1 mil no terceiro, além de uma complementação adicional se tiver boa avaliação em um teste final aplicado pelo governo estadual, totalizando R$ 3,1 mil.

O secretário estadual de Assistência Social e Direitos Humanos, Rodrigo Neves, destacou que o objetivo é garantir a permanência e o esforço dos estudantes na escola. “O Renda Melhor Jovem é uma poupança-escola que será depositada a cada ano concluído no ensino médio. É um incentivo não só à frequência , mas também ao desempenho ao estudante de 15 a 17 anos dessas famílias extremamente pobres, que são geralmente os que mais se evadem [da escola] e contribuem com as taxas de repetência”, disse Neves.

O programa segue a linha do Plano Brasil sem Miséria, do governo federal, e pretende atender a 50 mil famílias nos municípios de Belford Roxo, São Gonçalo e Japeri – considerados os mais pobres na região metropolitana.

A secretária extraordinária de Superação da Pobreza Extrema, Ana Fonseca, participou do lançamento e destacou a iniciativa fluminense de atender os estudantes. “O que há de inovador aqui na experiência do Rio de Janeiro é o programa para o jovem, para estimular a permanência no ensino médio”, ressaltou Ana Fonseca.

Segundo ela, existem 800 mil famílias no país ainda fora de programas de transferência de renda e que estão sendo localizadas pelo governo federal. Segundo ela, ainda é grande o número de brasileiros considerados abaixo da linha da pobreza. “Pelo censo do IBGE [Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística] de 2010, nós encontramos 16 milhões de brasileiros com renda familiar por pessoa igual ou abaixo de R$ 70. Desses, 9,6 milhões moram na Região Nordeste do país”, disse. No estado do Rio, segundo o MDS, 700 mil famílias são atendidas pelo Programa Bolsa Família.

* com informações da Agência Brasil

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG