Propostas de encontro internacional de reitores buscam o reconhecimento internacional de instituições ibero-americanas

Mais programas de intercambio, convergência, confiança mútua e internacionalização. Estes foram os principais pontos da agenda definida por 1.009 universidades ibero-americanas e 44 diretores de outros países convidados para o II Encontro de Reitores Universia, que se encerrou nesta terça-feira em Guadalajara, no México.

Com o horizonte de uma década de implantação e contando com o apoio da sociedade (governos, empresas, organizações), os reitores propuseram: uma ampliação “ambiciosa” do programa de intercâmbio com reconhecimentos dos estudos e dos profissionais; um processo de convergência que reconheça estudos e títulos; um sistema de avaliação da qualidade que garanta mútua confiança entre os países; e um programa para impulsionar as redes universitárias de pesquisa, a formação de professores e doutores e a transferência de conhecimento.

Para que essas propostas sejam concretizadas, formando um “Espaço Ibero-americano de Conhecimento”, pretendido pelos reitores, será criado um “Observatório para o Seguimento” – espécie de conselho que acompanhará a implantação da agenda de Guadalajara. As propostas visam a internacionalização das universidades da região, que tem grandes desafios nesta área .

“As universidades participantes do encontro consideram o investimento em educação como a melhor garantia de um futuro de prosperidade, progresso e paz social e se declaram comprometidas [...] a propiciar os passos necessários para a criação de um Espaço Ibero-americano de Conhecimento”, diz a carta da agenda, lida no encerramento por Federico Gutierrez-Solana, reitor da Universidade de Cantabria (Espanha) e presidente da Conferência de Reitores de Universidades Espanholas.

Jose Navarro discursa no encerramento do evento
Marina Morena Costa, iG São Paulo
Jose Navarro discursa no encerramento do evento
Jose Narro, reitor da Universidade Autônoma do México e presidente do Comitê Internacional do Encontro, destacou a definição de estratégias para consolidar o macro espaço de cooperação universitária. “Estamos diante de um novo modelo de universidade ibero-americana, mais comprometida, mais inovadora, mais aberta à colaboração, mais flexível, mais confiada em suas próprias capacidades”, declarou Narrro durante o evento.

No encerramento, o Banco Santander, mantenedor da rede de universidades Universia, anunciou o lançamento de um novo programa de bolsas de estudo com 15 mil vagas para estudantes do ensino superior e 3 mil para pesquisadores.

*A repórter viajou a convite da organização do evento

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.