Reforço escolar já deu resultado no Cantagalo, segundo Criança Esperança

Entidade não tem mais nenhuma atividade regular de apoio ao colégio vizinho, com a pior nota da rede municipal do Rio no Ideb

Raphael Gomide, iG Rio de Janeiro |

Raphael Gomide
Joice Santos acha a escola ruim; Robson Alves gosta da aula de Educação Física, no Cantagalo
O coordenador do Espaço Criança Esperança no Morro do Cantagalo, Jairo Coutinho, disse ao iG que o Ciep Presidente João Goulart já teve desempenho melhor no Ideb (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) quando estava em vigor projeto da entidade com aulas de reforço escolar para os alunos da escola municipal. Segundo Jairo, atualmente não há nenhum programa de auxílio à escola.

“Em um determinado momento no passado, foi muito bem-sucedido o reforço escolar na escola, superou até a expectativa do MEC. Mas não é missão nossa, foi um episódio”, disse.

Como o iG mostrou, o colégio teve a pior nota da rede municipal no Ideb – 1,8 em 10 pontos possíveis –, apesar de ficar em um complexo que inclui o Espaço Criança Esperança, o grupo cultural Afroreggae e é visitado frequentemente por presidentes da República, pelo governador Sérgio Cabral e o prefeito Eduardo Paes.

Jairo afirmou acreditar que as aulas de reforço escolar tenham ocorrido em 2008. Nesse ano, a nota da João Goulart no Ideb foi 3,7, o dobro da obtida no ano seguinte, 1,8. Influenciam na avaliação final as notas na Prova Brasil e o índice de aprovação dos estudantes.

O site do Criança Esperança explica que os espaços da entidade “ao centros de atenção em tempo integral que oferecem atividades complementares à escola” e “contribuem para promover a educação, a cultura, a inclusão e o desenvolvimento social no Brasil”.

O coordenador do Espaço Criança Esperança no Cantagalo afirmou que “compartilha” o sentimento da secretária municipal de Educação, Cláudia Costin, que afirmou ter ficado “chocada” com a nota da escola no Ideb. “Mas não nos compete avaliar a escola. Nem essa nem nenhuma outra. Dou meu testemunho do esforço da secretária e da nova direção da escola, empenhadíssima”, disse.

Jairo afirmou que há 8.500 crianças e jovens (de 4 a 29 anos) matriculados em projetos do Criança Esperança no Cantagalo, o que representaria cerca de 70% das pessoas nessa faixa etária. São crianças e jovens de 33 escolas diferentes na área do entorno do Criança Esperança, entre alunos das redes municipal, estadual e técnicas.

Raphael Gomide
Crianças brincam na área de lazer do Ciep e do Criança Esperança no Morro do Cantagalo
A entidade promove um conjunto de atividades esportivas e culturais fora do horário escolar. As crianças e jovens jogam futsal, vôlei, basquete, handebol e natação e participam de oficinas de teatro, dança e música. O Criança Esperança também oferece cursos de inclusão digital e computadores para crianças a partir de 3 anos. Os moradores dispõem de um espaço infantil.

Para os jovens, há um centro de capacitação com gás natural, que forma pessoal para construção civil, um projeto de formação no varejo para pequenos comerciantes e um balcão permanente de oportunidades de emprego para moradores com mais de 16 anos, em parceria com mais de 300 empresas da região.

“O resultado disso tudo é preparar para o mundo real e somos bem-sucedidos. Empregamos, por ano, mais de 300 jovens, que precisam vencer a inexperiência, o preconceito de morar em comunidade e a falta de qualificação familiar”, afirmou.

    Leia tudo sobre: EducaçãoIdebCantagaloescolaJoão GoulartRio

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG