Rede privada possui mais professores "leigos"

Docentes que não possuem diplomas de ensino superior ocupam mais cargos nas salas de aula de escolas particulares que públicas

Priscilla Borges, iG Brasília |

Conhecidos como professores “leigos”, os educadores que dão aulas nas salas de aula brasileiras sem nenhum diploma de ensino superior – e até tendo cursado apenas o ensino fundamental – estão, proporcionalmente, mais numerosos na rede privada de ensino do que nas escolas públicas, de acordo com o Censo Escolar 2009 ( confira gráficos ).

Levantamento feito pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) mostra que a pior situação encontra-se entre os docentes cuja formação não vai além do ensino médio regular. Na rede privada, 13,2% dos 78 mil professores que atuam na pré-escola têm essa qualificação. Nos anos iniciais do ensino fundamental, a porcentagem cai para 10% dos 142 mil. A menor proporção está no ensino médio: 6,6% (de um total de 92 mil).

O iG mostrou, em matéria publicada no domingo, que o número de professores “leigos” no Brasil aumentou em todas as etapas da educação básica nos últimos dois anos. Ao todo, 152.454 profissionais dão aulas sem a mínima formação para alunos matriculados em creches, pré-escolas, ensino fundamental e até ensino médio nas cinco regiões do País.

Eles representam apenas 7,7% dos docentes que atuam hoje nas escolas brasileiras. O total é de 1.977.978. O aumento aconteceu na crescente contratação de quem completou apenas o ensino médio regular. Em 2007, 103.341 professores brasileiros estavam nessa situação. No ano passado, eles somavam 139.974. O aumento chega a 35,4% em dois anos.

Na rede pública, os educadores que não possuem diploma universitário também estão mais presentes nas salas de aula da pré-escola: 6,2% dos 180 mil. No ensino fundamental, a proporção é de 5,6% (de 1,3 milhão). E no ensino médio, 4,2% (de 387 mil). O percentual de docentes que dá aulas apenas com o diploma de ensino fundamental é semelhante nas duas redes. O índice não passa de 1% nas escolas públicas e privadas.

Qualificação dos professores da rede pública

Nas diferentes etapas de ensino da educação básica, a formação dos docentes varia do ensino fundamental ao ensino superior (dados de 2009, em porcentagem)

Gerando gráfico...
Inep/MEC

Desafios
Os números mostram que encontrar professores qualificados é um desafio para as duas redes de ensino. Os especialistas acreditam que, no caso da rede pública, em que houve a universalização das matrículas do ensino fundamental e consequente pressão para abertura de vagas no ensino médio e na educação infantil, essa demanda precisou ser atendida com urgência e, por isso, a contratação de docentes sem qualificação adequada foi feita.

Clélia Craveiro Brandão, presidente do Conselho Nacional de Educação, reconhece que houve dificuldades, por parte dos gestores, em encontrar profissionais para atender essa demanda. No entanto, ela defende que essas contratações deveriam ter acompanhado planejamentos para aperfeiçoamento da formação dos professores.

Carlos Eduardo Sanches, presidente da União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime), acredita que lacuna entre a necessidade de docentes e a quantidade de estudantes que se interessam e decidem seguir a carreira é grande. Para ele, a aprovação do piso salarial e de um plano de carreira é essencial para garantir a sobrevivência das escolas e melhorar a qualidade da educação.

Curso superior
Apesar de um grande número de docentes ainda ser contratado sem a qualificação exigida pela Lei de Diretrizes e Bases da Educação (LDB), a quantidade de diplomados é grande, especialmente nas etapas em que a formação específica é exigida: anos finais do ensino fundamental e ensino médio. Mais de 90% dos professores do ensino médio, nas escolas públicas e privadas, têm diploma universitário.

Nos anos finais do ensino fundamental, a proporção é maior na rede privada: 85,7% contra 77,7 na rede pública. Na pré-escola, a situação se inverte. A rede pública possui pouco mais da metade dos educadores com formação superior, enquanto nos colégios privados eles representam 42,7%.

Qualificação dos professores da rede privada

Nas diferentes etapas de ensino da educação básica, a formação dos docentes varia do ensino fundamental ao ensino superior (dados de 2009, em porcentagem)

Gerando gráfico...
Inep/MEC
    Leia tudo sobre: educaçãoqualificaçãodocentesrede públicarede privada

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG