Ordem dos Advogados esclarece que taxa de aprovação por instituição só leva em conta os candidatos já formados

Nesta segunda-feira a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) esclareceu que o ranking divulgado com exclusividade pelo iG leva em conta somente os bacharéis que realizaram o 4º Exame de Ordem Unificado, prova obrigatória para obter o registro para exercer a profissão de advogado.

Assim como foram desconsideradas instituições de ensino superior com menos de 10 alunos participantes, também foram retiradas do ranking as estatísticas referentes aos alunos do penúltimo e último período de cursos de Direito. Só estão considerados na lista encaminhada pela Ordem os bacharéis aprovados por cada instituição.

O iG publicou o ranking na sexta-feira junto com algumas análises que realizavam comparações com o resultado do exame anterior, que não fazia essa distinção entre bacharéis e estudantes, o que pode levar a uma interpretação incompleta dos resultados da OAB. Três faculdades haviam procurado a reportagem para questionar o número de aprovados e o iG solicitou o esclarecimento à Ordem. O secretário-geral da entidade, Marcus Vinícius Coelho, explica que os estudantes dos cursos – ainda não formados – não foram considerados no não foram considerados no ranking a pedido das próprias instituições, porque “eles ainda não estariam prontos para o mercado”.

As reportagens abaixo foram atualizadas nesta segunda-feira:

Entre 50 faculdades que mais aprovaram na OAB, só 3 são privadas
29 instituições de ensino não aprovam nenhum bacharel na OAB
Unip diz que brilha na OAB, mas aprova apenas 6,7% dos bacharéis

O resultado final, com as aprovações após recurso, será divulgado pela OAB no dia 4 de outubro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.