Quem não terminou prova da Unicamp não deve se desesperar

Segundo professores do Cursinho da Poli, 2ª fase do vestibular é feita para que o candidato não consiga responder todo o exame

Lucien Adedo, especial para o iG |

Após o primeiro dia da segunda fase do vestibular da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), o principal comentário dos estudantes era: “não consegui responder todas as questões”. Segundo os professores do Cursinho da Poli, isso não é motivo para se desesperar, uma vez que a própria prova da universidade já é preparada com este propósito.

“É normal que o aluno não tenha tido tempo suficiente para completar a prova. Não acho que, por causa disso, ele deva se desesperar. Eu acredito que a maioria dos candidatos deve ter sentido a mesma dificuldade, o que provoca uma queda na média geral”, opina Thaís Oliveira, professora de matemática.

Para Thaís, as questões da sua disciplina estavam mais difíceis que as do vestibular do ano passado. Ainda que com enunciados bem elaborados, diz a professora, elas tinham uma certa complexidade interpretativa, fato que deve ter levado ao problema de tempo. “Na questão 24, por exemplo, o enunciado mostra um cilindro e pede que o aluno desenvolva um prisma. O processo é, visualmente, trabalhoso. Eu mesma resolvi a questão pegando uma folha e dobrando-a. Já o estudante não tinha como fazer isso”, exemplifica a professora.

O seu colega e professor de português Claudio Rosa Lopes também afirma que, de maneira geral, os alunos não conseguiriam responder a todas às questões da prova de Língua Portuguesa e Literatura.

“A prova não é difícil de fazer, mas muito trabalhosa. Acredito que isso seja, talvez, uma maneira de exigir mais interpretação e maior capacidade de síntese do aluno, mas é difícil afirmar categoricamente”.

Claudio elogiou o conteúdo “abrangente” da prova. Segundo ele, caiu um pouco de gramática, de interpretação de texto, de estilística, além de várias de literatura. Aliás, ele destaca o fato de, neste ano, a Unicamp ter relacionado livros da mesma lista de obras nas questões, característica da Fuvest.

Para aqueles que não conseguiram responder todas as questões, Claudio dá um recado mais animador: “No geral, a maioria, provavelmente, não conseguiu responder a toda a prova. Isso é uma característica da Unicamp, ela é feita para isso.”

    Leia tudo sobre: UnicampvestibularcorreçãoCursinho da Poli

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG