Quatro mil já se inscreveram no Fies

As inscrições para o programa de financiamento estudantil abriram às 14h. Estudantes terão o ano todo para se candidatar

Priscilla Borges, iG Brasília |

O Ministério da Educação publicou nesta segunda-feira no Diário Oficial da União uma portaria que altera o Fundo de Financiamento ao Estudante de Ensino Superior (Fies). A partir de agora, os estudantes interessados em participar do programa podem se inscrever no programa a qualquer época do ano. Antes os estudantes tinham um período específico para fazer inscrição no programa, que abria uma ou duas vezes ao ano.

As inscrições devem ser feitas somente pela internet, no endereço http://sisfiesportal.mec.gov.br/ . O prazo iniciou às 14h. Em pouco mais de três horas, 4 mil estudantes já haviam se inscrito no programa.

O ministro da Educação, Fernando Haddad, anunciou ainda que, a partir do segundo semestre, os calouros que forem aprovados nos vestibulares das instituições particulares que aderirem ao Fies poderão solicitar o financiamento no ato da matrícula. O objetivo é que eles não precisem pagar a mensalidade inicial. "Nossa ideia é que o estudante que deseja participar do financiamento já procure a instituição e ela o autorize a fazer a inscrição no Fies. Toda instituição precisa validar a inscrição do candidato no programa", afirmou o ministro.

Para se candidatar ao financiamento, o estudante tem de estar regularmente matriculado em um curso que tenha avaliação positiva no Sistema Nacional de Avaliação de Educação Superior (Sinaes) e a faculdade precisa ter aderido ao programa previamente. A partir de 2011, os estudantes que desejarem participar do Fies terão de apresentar a nota que obtiveram no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem).

É importante ressaltar que a instituição que aderir ao Fies não pode mais restringir os cursos que entrarão no programa. Todas as graduações que possuem notas acima de 3 no Sinaes oferecidas pela instituição que aderiu ao programa podem ser financiados. "A prerrogativa de dizer qual curso entra ou não no Fies não é mais da instituição. É do MEC. E o que determina isso é a qualidade. Essa é uma mudança extremamente importante", ponderou Haddad.

Outra novidade é o sistema de distribuição das parcelas de financiamento (100%, 75% ou 50%) das mensalidades, que serão feitas de acordo com o comprometimento da renda familiar a partir do pagamento da prestação do curso. "Com essas alterações publicadas na portaria estamos consolidando o Fies e o direcionando a quem realmente precisa de financiamento. Esperamos fortalecer o Fies como alternativa a quem não ingressou em uma universidade pública, não conseguiu uma bolsa do Prouni e não pode pagar pelos estudos", ressaltou..


    Leia tudo sobre: educaçãofies

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG