O PSDB, partido do governador de São Paulo, José Serra, irá entrar com uma representação no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra o Sindicato dos Professores do Ensino Oficial de São Paulo (Apeoesp) por ¿contrapropaganda eleitoral antecipada¿. Segundo a assessoria de imprensa do diretório nacional do partido, o processo será registrado na próxima terça-feira (30). A representação deve pedir que a Apeoesp e sua presidente, Maria Izabel Azevedo Noronha, sejam multados.

O PSDB alega que o sindicato tem feito diversas menções contrárias à candidatura de Serra à Presidência ¿ que deve ser confirmada nos próximos dias ¿ em manifestações. Os professores estão em greve desde o dia 8 de março e reivindicam reajuste salarial de 34%, incorporação imediata das gratificações e o fim das provas dos temporários e do programa de promoção.

Perguntada se tinha ciência sobre o caso, a presidente da Apeoesp diz que "não vai comentar o caso até que a ação seja registrada". "Considero que fizemos apenas uma avaliação do governo dele e de sua política de Educação, não foi uma contrapropaganda", finaliza Maria Isabel.

Durante a manifestação realizada na última sexta-feira próxima ao Palácio dos Bandeirantes, a presidente do sindicato fez um discurso emocionado logo após voltar da negociação com o secretário-adjunto da Educação. Entre perguntas dos tipo: "esse senhor (José Serra) tem competência para ser presidente do Brasil? Não!", "o Brasil está sendo chamado para mediar conflitos no exterior. É esse homem truculento que queremos para mediar em nosso nome?", Maria Izabel declarava a continuidade da greve.

Confronto
Na última sexta-feira, professores em greve e policiais militares entraram em confronto na avenida Giovanni Gronchi quando grevistas tentaram seguir em passeata até a sede do governo do Estado de São Paulo. Segundo a PM, nove manifestantes e sete policiais ficaram feridos. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.