Evento da rede Universia está programado para 2015. Santander Universidades pretende dobrar investimento no Brasil

Emilio Botín anunciou evento no Brasil
Marina Morena Costa, iG São Paulo
Emilio Botín anunciou evento no Brasil
O presidente da rede de universidades Universia e do Banco Santander, Emilio Botín, anunciou nesta terça-feira que o próximo Encontro Internacional de Reitores Universia será no Brasil, em 2015. A declaração foi dada durante o encerramento do segundo encontro, em Guadalajara, no México, que reuniu mais de mil universidades. A primeira edição do evento aconteceu em Sevilha (Espanha) com a presença de 500 reitores. 

José Antonio Villasante, diretor geral adjunto do banco e da divisão geral global do Santander Universidades, anunciou durante a coletiva de imprensa que os investimentos no Brasil dobrarão até 2015. “Atualmente temos 300 convênios com universidades brasileiras e investimos anualmente R$ 40 milhões. Em cinco anos, seguramente, vamos dobrar esse valor. O Brasil é nossa estrela”, declarou Villasante.

A forma como serão divididos os 600 milhões de euros investidos pelo Santander nos próximos cinco anos em universidades ibero-americanas não foi esclarecida por Botín, nem por Villasante. Os dois adiantaram somente que a maior parte do dinheiro financiará programas de bolsas de estudo e intercâmbio. “A divisão do investimento dependerá da qualidade dos projetos apresentados”, afirmou o diretor geral adjunto do banco.

Botín afirmou que se encontrará com o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva, para acertar os detalhes do evento no País. A reunião, no entanto, ainda não foi agendada.

Propostas

Após dois dias de debates e reuniões em Guadalajara, os reitores participantes do encontro redigiram uma carta de propostas . Mais programas de intercâmbio, convergência, confiança mútua e internacionalização são os principais pontos da agenda definida por 1.009 universidades ibero-americanas e 44 diretores de países convidados.

Com o horizonte de uma década de implantação e contando com o apoio da sociedade (governos, empresas, organizações), os reitores propuseram: uma ampliação “ambiciosa” do programa de intercâmbio com reconhecimentos dos estudos e dos profissionais; um processo de convergência que reconheça estudos e títulos; um sistema de avaliação da qualidade que garanta mútua confiança entre os países; e um programa para impulsionar as redes universitárias de pesquisa, a formação de professores e doutores e a transferência de conhecimento.

*A repórter viajou a convite da organização do evento

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.