Prova de química foi a mais difícil do vestibular da Unesp

Candidatos enfrentam último dia de provas nesta segunda-feira

Fernanda Simas, iG São Paulo |

Os vestibulandos que fizeram as provas do primeiro dia da segunda fase da Unesp neste domingo (3) acharam que a parte de humanas estava fácil e que exatas estava um pouco mais difícil. Uma característica marcante da prova apontada pelos estudantes foi ela ter muitas questões envolvendo assuntos da atualidade, como o terremoto no Japão e os conflitos em países árabes. “A prova não estava complicada. Caiu muita atualidade e acho que esse deve ser o foco dos cursinhos agora”, conta Mariane Hassen, 19 anos, que está tentando entrar no curso de Geografia.



A mesma opinião é compartilhada por Marina Pompeo, 16 anos, que também prestou para Geografia, mas apenas para treinar, já que se forma no fim deste ano e pretende cursar uma faculdade de Direito. “Faculdade pública tem que ter a prova assim. Acho importante estar ligado no que acontece no mundo e não saber apenas as teorias”, disse Mariana. O colega dela, Mateus Saito, 17 anos, prestou para Engenharia Elétrica também só para treinar. “A segunda fase é a mais importante para a gente, não temos muitas provas dissertativas como forma de treinar na escola ou no cursinho”, argumenta.

Marcel Gobbi, 21 anos, já desistiu de duas faculdades – Engenharia de Materiais na Unesp e Matemática na USP – e agora tenta entrar para o curso de Engenharia Ambiental. “Achei a prova tranquila, só que química foi mais complicado. Tinha muita química orgânica”. A prova de química também foi um obstáculo para Gabriel de Oliveira Carrapatoso, 20 anos. Ele presta para Geografia e quando questionado sobre a prova de exatas, deu risada. “Humanas estava razoável, mas exatas nem sei dizer”, conta. Carrapatoso foi fazer a prova vestindo a camiseta da seleção brasileira e ao sair da prova brincou com o fato de estar fazendo a prova durante o jogo do Brasil na disputa da Copa América. “Esse é só o primeiro jogo, não tem problema [não ver a partida].”

Prova mais gostosa
Nathalia Duarte, 16 anos, tem vontade de cursar Medicina e prestou zootecnia na Unesp por ter as mesmas matérias que ela precisa fazer no fim do ano. Ela achou a prova mais gostosa de fazer do que a de outras universidades. “Não tava difícil, mas é uma prova mais complexa. Ao mesmo tempo, é mais gostosa de fazer do que o vestibular da Fuvest e da Unicamp. As questões usam mais atualidades.”

Último dia nesta segunda
Neste domingo, os candidatos tiveram que responder 24 questões dissertativas de matérias das áreas de ciências humanas e ciências da natureza e matemática. Nesta segunda, termina a segunda fase do vestibular mais concorrido já realizado para a Fuvest com 12 questões dissertativas de linguagens e códigos e uma redação. A prova começa às 14h, e os vestibumandos têm 4h30 para concluí-la.

O resultado do exame será divulgado em 20 de julho. A matrícula em primeira chamada está marcada para os dias 25 e 26 de julho, na unidade onde funciona o curso escolhido pelo candidato.

    Leia tudo sobre: vestibularunesp

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG