Proibido para menores de 60

Em todo o Brasil, universidades disponibilizam cursos específicos para a chamada ¿melhor idade¿ ou pessoas com mais de 60 anos. Trata-se de uma tendência que ocorre desde do ano 2000. Afinal, 8,6% da população do País, o que corresponde a 14,4 milhões de pessoas, estão nessa faixa etária de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Daqui 12 anos, estima-se que esse número aumente para 30 milhões.

Isis Nóbile Diniz |

Acordo Ortográfico

Com o envelhecimento da população, mais pessoas estão aposentadas e, consequentemente, com mais tempo livre. Inclusive, brasileiros da classe média e alta conseguem investir um dinheiro mensalmente na sua própria qualidade de vida e na busca por novidades . São pessoas que trabalharam a vida inteira. Agora, podem se dedicar a aprender o que não foi possível.

Geralmente excluídas do mercado de trabalho, essas pessoas pensam que não têm mais 'validade', diz Maria Cândida Soares Del-Masso, coordenadora da Universidade Aberta à Terceira Idade (Unati), da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Independente da matéria, voltar a estudar é uma maneira de aumentar a auto-estima , se sentir melhor e ser mais feliz. Participar das atividades desenvolvidas pelas universidades ajuda a fazer com que o idoso repense seu papel na sociedade, completa.

Se esses motivos ainda são insuficientes para convencer, Juliana Magalhães Machado Barbosa, coordenadora do Projeto Unidoso do Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH), afirma: Pessoas com quadro de depressão grave se matricularam. Durante o curso, melhoraram. Ela conta que o fato de sair de casa, encontrar pessoas da mesma idade, conversar e se atualizar mostra para as pessoas com mais de 60 anos que ainda é tempo de aprender. Existem idosos que foram para a faculdade porque família insistiu. Inclusive, alguns filhos acompanham os pais com dificuldade de locomoção. Esses benefícios, que até os unem aos parentes, são impossíveis de medir, diz.

A Unesp, por exemplo, possui cinco mil inscritos nos 20 núcleos disponíveis em cidades de todo o estado de São Paulo como Marília, Araraquara, Bauru e Botucatu. O curso de informática, oferecido gratuitamente pela UNI-BH, possui até lista de espera. Eles ficam tão entusiasmados que resolvemos fazer a formatura de um curso e dar o certificado , finaliza Juliana.

Os temas, as horas de aula, o preço e o tipo de curso são de acordo com cada organização. Inclusive, algumas instituições aceitam pessoas com idade acima de 45 ou 50 anos. Os demais pré-requisitos dependem da atividade escolhida. Os cursos de informática ou língua estrangeira, por exemplo, exigem que a pessoa seja alfabetizada .

Quem não for, pode fazer cursos de dança, algumas oficinas, atividades físicas ou mesmo ser alfabetizado. Na maioria das universidades públicas as atividades são gratuitas. Algumas apenas cobram taxa de inscrição ou material. Independente do preço, todas as atividades devem ser respeitadas pelos alunos, sendo que muitas exigem frequência.

Por que as universidades fornecem esses cursos?

Segundo os entrevistados, o objetivo é criar uma integração entre diversas idades, mostrar uma perspectiva de futuro para os alunos de todas as idades, ajudar na melhora da qualidade de vida do idoso, colocar em prática o papel social da instituição, realizar pesquisas visando o bem-estar da população e fazer com que os alunos coloquem em prática seu conhecimento.

Confira as universidades que possuem atividades para a terceira idade:

SÃO PAULO

Universidade Estadual Paulista (UNESP)
Projeto: Universidade Aberta à Terceira Idade (Unati)
Possui: palestras diversas como, por exemplo, sobre saúde; cursos de língua estrangeira, informática, história da arte; oficinas como de cerâmica, entre outros.
www.unesp.br

Universidade de São Paulo (USP)
Projeto: Universidade Aberta à Terceira Idade
Possui: curso de graduação para quem tem o ensino médio completo e atividades oferecidas semestralmente sobre temas didáticos e culturais e físicos e esportivos como dança, nutrição, psicologia, história, políticas públicas, entre outros.
www.usp.br/prc/3idade

Santos

Universidade Católica de Santos (UNISANTOS)
Projeto: Universidade Aberta para a Terceira Idade (UATI)
Possui: curso que tem como tema central a cidadania, com aulas sobre história contemporânea, psicologia; e oficinas de arte.
www.unisantos.br/uati

Osaco

Centro Universitário da Fundação Instituto de Ensino para Osasco (UNIFIEO)
Projeto: Faculdade FIEO da Maior Idade (FFMI)
Possui: cursos livres como aulas de artes plásticas, música, filosofia, literatura, internet, geografia, política, economia, entre outros.
www.fieo.br

São Paulo

Universidade Metodista de São Paulo (Umesp)
Projeto: Universidade Livre da Terceira Idade
Possui: curso de dois anos que pode formar agente social; o módulo básico tem 16 disciplinas como psicologia, ética, educação ambiental, espanhol; em paralelo disponibiliza aulas de coral, teatro, expressão corporal e esportes.
www.metodista.br/terceiraidade

Universidade Presbiteriana Mackenzie
Projeto: Universidade Aberta do Tempo Útil (UATU)
Possui: cursos de língua como espanhol, inglês, italiano, francês, alemão; e livres de informática, arte moderna, renascença, oficina de memória, xadrez, saúde mental, ginástica postural, entre outros.
www.mackenzie.br

Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC)
Projeto: Universidade Aberta à Maturidade
Possui: curso com os temas A Imagem Corporal na Contemporaneidade, Arte em Museu - Olhar e Fruição, Psicogerontologia: Fundamentos e Perspectivas: Fundamentos Teóricos e Ações e Intervenções; curso online sobre atualização gramatical e pesquisa na internet.
www.cogeae.pucsp.br

Santo André

Faculdade Octógono
Projeto: Faculdade Aberta da Melhor Idade
Possui: curso com o objetivo de discutir temas na área de humanas como social, política, filosófica e psicológica.
www.foco.br

Diadema

Faculdade Diadema
Projeto: Universidade Livre da Terceira Idade
Possui: curso de seis módulos com duração de um semestre cada sobre sexualidade, primeiros-socorros, brincadeiras, danças, criatividade, entre outros; e palestras sobre temas como globalização, economia, política e finanças.
www.fadnet.br

RIO DE JANEIRO

Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC)
Projeto: do Departamento de Direito
Possui: curso com o objetivo de ser uma ferramenta sobre direito, finanças e informática.
www.puc-rio.br

Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ)
Projeto: Universidade Aberta da Terceira Idade (UnATI)
Possui: curso de educação visando a saúde que aborda ecologia, massoterapia, orientação postural; arte e cultura sobre biodanza, cinema, decupagem; conhecimentos gerais, específicos para a maturidade e língua estrangeira.
www.unati.uerj.br

PARANÁ

Universidade Federal do Paraná (UFPR)
Projeto: Programa de Inclusão Digital Social
Possui: cursos de informática com turmas exclusivas para a terceira idade.
www.ids.ufpr.br

MINAS GERAIS

Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG)
Projeto: Centro de Desenvolvimento de Recursos Humanos para a Educação (CENDRHE)
Possui: cursos de antropologia filosófica, história e atualidades, dança, folclore, entre outros.
www.uemg.br/cendrhe.php

Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG)
Projeto: Universidade Aberta para a Terceira Idade
Possui: palestras, mesas-redondas, oficinas, atividades físicas e socioculturais sobre temas como envelhecimento e saúde.
www.ufmg.br

Centro Universitário de Belo Horizonte (UNI-BH)
Projeto: UNIdoso ¿ UNI_BH Aberta para terceira idade
Possui: curso sobre qualidade de vida; aulas de hidroginástica, musculação, reciclagem, eletricista; curso fora da universidade para grupos específicos.
www.unibh.br

Leia mais sobre: Terceira idade

    Leia tudo sobre: cursocurso para terceira idadeeducação

    Notícias Relacionadas


      Mais destaques

      Destaques da home iG